Motoristas de aplicativos são recebidos por deputados na Aleam

 

Dezenas de motoristas de aplicativos de transporte realizaram manifestação, desde as 7 horas da manhã desta terça-feira (11), em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), localizada na Avenida Mário Ypiranga, bairro Parque 10 de Novembro.

Os profissionais estacionaram seus automóveis na via pública, ocupando duas faixas da avenida em protesto pelo preço do litro da gasolina em Manaus, e pediram apoio dos parlamentares que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Combustíveis, da Aleam, que investiga os contratos entre refinarias, distribuidoras e postos de combustíveis.

A ação foi organizada pelo grupo Parceiros da QRU, formado por administradores de 48 grupos de aplicativos de mensagens e de monitoramento de motoristas. Os manifestantes afirmaram que na última semana, o Governo Federal anunciou a redução de 7,16% no preço da gasolina e de 6% no preço do diesel, em todas as refinarias do país. Na última segunda-feira (10) foi anunciado mais uma redução, desta vez de 3% no valor da gasolina.

Porém, os trabalhadores afirmaram que essa redução não foi repassada aos consumidores. “Estamos reivindicando que esse reajuste chegue às bombas de combustíveis. E chegando às bombas, não apenas nos beneficia, mas toda a população que precisa abastecer seus carros”, destacou o representante dos trabalhadores, Tiago Rodrigues.

Gleyde Silva, que também é motorista de aplicativos, lembrou que a Aleam é pioneira em instalar uma CPI dos Combustíveis, e por isso, os motoristas vieram buscar apoio do Parlamento Estadual nessa luta. “Nós precisamos acreditar nessa CPI, no trabalho dos deputados”, declarou.

Reunião

Após a manifestação, uma comissão formada por cinco representantes dos motoristas foram recebidos pela deputada Joana Darc, presidente da CPI dos Combustíveis, e pelo deputado João Luiz (PRB), presidente da Comissão de Defesa dos Consumidores (CDC) da Aleam. Também participou o presidente do Procon-AM, Jalil Fraxe Campos.

Os motoristas falaram das dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores de aplicativos de transporte e o quanto o valor dos combustíveis representa nos custos finais A deputada falou sobre as ações já realizadas pela Comissão, com o objetivo de verificar o possível alinhamento nos preços dos combustíveis (cartel) nos postos e distribuidoras; as diferenças dos preços praticados na capital e no interior; e a composição do preço de venda.

Respondendo aos questionamentos dos motoristas sobre a fiscalização junto aos postos de combustíveis, Joana Darc afirmou que a Comissão tem acompanhado blitz em postos, em parceria com os órgãos de fiscalização como Agência Nacional do Petróleo (ANP), Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e Procon-Am.

Darc explicou que semanalmente são fiscalizados dezenas de postos, onde são verificados não apenas a questão do preço, mas também lacre de bombas, qualidade dos combustíveis e diversos outros itens. E, para manter o efeito surpresa, a agenda de fiscalização só pode ser divulgada depois das ações realizadas. “A CPI tem uma agenda permanente, e vemos de uma maneira positiva manifestações como a de hoje, porque podemos alinhar ideias e esforços”, disse.

O deputado João Luiz, reiterou o compromisso da CDC-AM na interlocução dos cidadãos com os órgãos públicos, sempre com o objetivo de unir esforços em prol do bem estar de todos. “Vamos caminhar juntos, e trazer esses trabalhadores  para acompanhar o que está sendo feito”, afirmou.

Ao final do encontro, os deputados acertaram a criação de um grupo em aplicativo de mensagens, para troca de informações com maior agilidade e a realização de uma reunião, com data a ser definida, com a participação de todos os membros da CPI para que todas as demandas da categoria sejam apresentadas e também explicados os dados e informações já colhidas. “A Assembleia Legislativa está de portas abertas para os trabalhadores”, disse Joana Darc, finalizando que “o momento é de união”.

Cessão de Tempo

Em Cessão de Tempo solicitada pela deputada Joanna Darc (PR), o representante dos motoristas de aplicativos de transporte de Manaus, Tiago Rodrigues, ocupou a tribuna da Aleam, nesta terça-feira, para falar sobre a alta dos preços dos combustíveis na capital amazonense.

Rodrigues falou sobre o alto custo dos combustíveis, e como isso impacta na arrecadação final dos motoristas de aplicativos, que precisam abastecer seus automóveis diariamente. O motorista disse que é preciso que os órgãos que fiscalizam os postos de combustíveis sejam mais enérgicos em relação aos preços estipulados nas bombas, já que, segundo ele, as reduções nos preços nas refinarias, não chegam às bombas.

“Somos contra o valor da gasolina aqui em Manaus, mas estendemos para os municípios vizinhos, porque existem municípios onde o litro da gasolina é de R$ 6,75”, disse. O representante dos trabalhadores afirmou que é preciso um olhar mais atento a esta situação, porque o preço dos combustíveis interfere na vida de toda a sociedade. “Queremos um preço justo, para que possamos trabalhar e dar uma vida digna para nossas famílias”, afirmou. Rodrigues pregou a união de esforços, e se colocou à disposição para contribuir com os trabalhos da CPI dos Combustíveis da Aleam.

 

Diretoria de Comunicação

Texto: Joyce Campos

Foto: Alberto César Araújo

 

 

COMPARTILHAR