Amazonas diminui o número de queimadas identificadas na Amazônia Legal

    0
    315

    Mais de 800 focos foram identificados no estado entre 1º e 9 de setembro.

    Com os focos de queimadas identificados de 1º a 9 de setembro, o Amazonas passou a ocupar a sétima posição no ranking de estados que compõem a Amazônia Legal. No período, foram registrados 820 casos, o que representa uma diminuição de 73,38% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo um comunicado do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) divulgado nesta terça-feira (10).

    O Amazonas estava em terceiro lugar no ranking em agosto – mês que obteve o maior número de casos já registrados desde o início dos levantamentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998. Entre os dias 1º e 9 de setembro deste ano, o estado de Mato Grosso lidera o ranking. Roraima está em último lugar.

    Focos de queimadas registrados na Amazônia Legal entre 1º e 9 de setembro

    Entre janeiro e os cinco primeiros dias de setembro, Amazonas registrou mais de 8,8 mil focos. O número já correspondia a 77,6% do número total de casos identificados em todo o ano de 2018 – que acumulou 11.446 focos.

    A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) informou que o mês de setembro costuma registrar aumento de queimadas em toda a região amazônica devido à intensificação da estiagem.

    “A Sema e os demais órgãos estaduais e federais intensificaram as ações de combate aos focos de calor neste período (…) Estamos ampliando as atividades de educação ambiental nas áreas críticas, com estratégias para reduzir os danos à floresta”, disse o secretário Eduardo Taveira, por meio de nota.

    Região Sul

    Dos dez municípios do Amazonas com mais casos, oito estão no Sul do Estado. A região é o alvo das operações Curuquetê e Verde Brasil, do Governo do Amazonas e Governo Federal, por meio do Exército Brasileiro – que enviou mais de 1,3 mil homens para cinco estado da Região Norte. No Amazonas, eles devem permanecer por, no mínimo, 60 dias.

    O Sul do estado, assim como a Região Metropolitana de Manaus, estão em situação de emergência desde o início do mês de agosto.

    Regularização

    O Ipaam informou nesta terça-feira (10) que realiza um mutirão no município de Apuí para regularização de processos expedidos em 2018. Serviços como licenciamento de atividades referentes à agricultura familiar, criação de animais de grande porte, pedidos de outorga pelo uso de recursos hídricos, entre outros são disponibilizados pelo órgão.

    A renovação das licenças e expedição dos serviços de regularização para a população ocorrerá até a sexta-feira (13) no Centro Multifuncional da Sema e Ipaam no município.

    Multas

    Na quinta-feira (5), empreendimentos em Apuí e Humaitá foram multados em R$ 1,7 milhão durante uma operação de combate às queimadas e desmatamento ilegal no Sul do Amazonas. Um dos locais é uma serraria, que foi embargada no dia 4 e que já havia sido multada em R$ 2,6 milhões.

    No dia 23 de agosto, o proprietário de um sítio foi multado em R$ 4 milhões por desmatar ilegalmente uma área de 27 hectares. O Ipaam passou a utilizar uma nova tecnologia, que já identificou responsáveis por desmatar 99.869,8 hectares no Sul do Estado e na Região Metropolitana de Manaus (RMM).