Alguns podem acreditar que a humanidade sabe tudo sobre a Terra, que ciências como geologia, geografia e meteorologia não trazem mais nada de surpreendente. Mas a verdade não é bem essa.

Fogo de Santo Elmo

Extremos de torres, dos mastros de barcos e outros lugares similares se iluminam com um efeito fantasmagórico. De forma geral, isso acontece durante ou na iminência de uma tempestade elétrica.

Na Europa medieval, estas luzes “dançarinas” eram relacionadas a São Pedro Gonçalves Telmo, protetor dos marinheiros. Segundo a lenda, antes de morrer, o santo prometeu que rezaria por marinheiros de todo o mundo, enviando a eles sinais sobre o futuro na forma de fogo nos mastros.

Fontes: wikipedia, science, scientificamerican

Vulcão na Antártida e seus tubos de neve

Você já parou para pensar que, mesmo nas regiões eternamente geladas, existem vulcões? O Érebo é um dos vulcões mais altos da Antártida, e também um dos mais fascinantes. Ele é coberto por tubos de gelo, formados como resultado da constante transformação do emitem vapor de água.

Fontes: volcanodiscovery, nationalgeographic, atlasobscura

Torres de luz

Este belo fenômeno ótico aparece quando a luz do Sol, da Lua ou uma das luzes da cidade é refletida na superfície de cristais de gelo muito pequenos presentes no ar. As torres de luz são mais comuns durante os dias mais frios do ano.

Fontes: earthsky, amusingplanet, scribol

“Macarrões” de neve em um dos lagos da Finlândia

Um dos habitantes de Hämeenlinna, Finlândia, descobriu que o lago ao lado de sua casa estava todo coberto por fios de neve, lembrando espaguetes. Quando ele sair em seu barco para observar o fenômeno de perto, percebeu que, ao pegar um fio de neve com as mãos, conseguia fazer uma bola de neve.

O mais provável é que os fios surgiram com a neve que caiu na água no momento em que movimentos do vento e da água criaram desenhos peculiares, antes que a neve derretesse.

Fontes: lakescientist, yle, newscom

Bosque dançante

Em Kaliningrado, Rússia, existe uma área de bosque com árvores torcidas de uma maneira um tanto esquisita. Os pesquisadores ainda não têm uma opinião definitiva sobre o fenômeno: alguns acreditam que o motivo é a atuação de parasitas, que afetam certas etapas do crescimento das árvores. Outros afirmam que a razão é o vento que sopra do mar. Os mais velhos costumam ter medo deste local, pois acham que nele moram espíritos malignos. Paisagens similares são vistas também na Dinamarca e no Cazaquistão.

Fontes: park-kosa, odditycentral, scribol

Eventos luminosos transientes

São flashes de cor vermelha ou azul que aparecem num nível muito alto. As pessoas não sabiam o que pensar sobre a origem deste fenômeno, alguns chegavam a achar que os flashes eram provocados por naves espaciais. Só em 1989, quando o fenômeno foi filmado, cientistas puderam demonstrar que aqueles flashes têm origem elétrica similar aos relâmpagos.

Fonte: nationalgeographic, popsci,elf.gi.alaska

“Maré vermelha”

A “maré vermelha“ é um fenômeno produzido pelo acúmulo em excesso de algas vermelhas microscópicas na superfície da água. Sob certas circunstâncias, os micro-organismos começam a se multiplicar rápido demais. Em geral, é o mesmo que proliferação de algas.

As marés vermelhas são perigosas para criaturas marinhas, pois durante o fenômeno, a quantidade de oxigênio na água cai drasticamente, dando lugar ao sulfeto de hidrogênio e amoníaco. Muitos pesquisadores afirmam que a ”maré vermelha” é a explicação científica para a primeira das pragas bíblicas. Segundo a história, toda a água do rio Nilo virou sangue, e todos os peixes morreram.

Fontes: oceanservice, sciencedaily, ncbi

Espectro de Brocken

Se estiver nas montanhas e olhar para o lado contrário ao Sol, às vezes é possível ver uma espécie de sombra de um gigante rodeada por uma aura luminosa. Isso nada mais é do que a sombra da própria pessoa projetada na névoa. As pequenas gotas refletem a luz solar em raios de espectros separados, criando a tal aura colorida em volta da sombra humana.

O nome do fenômeno se deve ao monte Brocken, na Alemanha, onde pode ser observado com mais frequência. Há tempos, o Brocken é tido como o lugar onde as bruxas celebram a noite de Walpurgis (ou Noite das Bruxas). Por isso, o fenômeno ficou associado às atividades de bruxaria.

Fontes: nkj, earthsky, bbc

Bola de fogo de Naga

Das profundezas do rio Mekong, Tailândia, esferas vermelhas e luminosas parecidas com ovos de vez em quando saem da água. Elas sobem a cerca de 10 a 20 metros de altura sobre a superfície do rio, e desaparecem.

Elas são vistas com mais frequência em outubro, época em que os povoados próximos celebram um festival todo dedicado ao fenômeno. Cientistas tentam explicar o curioso fato argumentando que trata-se da combustão de gases que se elevam a partir do fundo do rio. Porém, os nativos têm certeza de que as esferas são criadas por Naga, criatura meio serpente e meio humana que mora no rio.

Fontes: skeptoid, mnn, mysteriousuniverse

Vale das aves caídas

No vale de Jatinga, na Índia, as aves se comportam de uma maneira muito estranha nos últimos dias de verão, e isso se repete há anos. Elas voam sobre as cabeças das pessoas, e algumas das aves caem ao chão num estado de quase inconsciência.

De forma geral, ao voar, as aves são guiadas pela luz dos corpos celestes e pelo campo magnético da Terra. Talvez os pássaros se confundam com anomalias geofísicas, agindo de forma tão incomum.

Fontes: vokrugsveta, thehindu, indiatoday

Anomalia no fundo do Mar Báltico

No fundo do Mar Báltico, foi descoberto um objeto estranho que lembra uma nave espacial. Pesquisadores de diferentes países já o estudaram, mas ainda não chegaram a uma conclusão. Como o objeto é feito de basalto, a versão segundo a qual se trataria de uma nave já ficou de lado. As hipóteses mais prováveis são: é o resultado do degelo de uma geleira ou uma construção secreta da época da Segunda Guerra Mundial, usada pelos alemães em combates contra submarinos soviéticos e britânicos.

Fontes: news, zmescience, bbc

Brinicle: o “dedo mortal” de gelo

Este fenômeno acontece nas águas árticas subglaciais devido às diferentes temperaturas sob as quais águas com diferentes níveis de salinidade se congelam. Por fora, parece um crescimento incomum de um sincelo que, chegando ao fundo, vira uma espécie de riacho de gelo. Os animais marinhos que entram em contato com o “brinicle“ são rapidamente cobertos por uma camada de gelo, congelando quase instantaneamente.

Registros sobre a existência dos ”brinicles” foram feitos pela primeira vez em 1974, mas só em 2011 o fenômeno foi observado. Funcionários da rede BBC gravaram o acontecimento por acidente, e até hoje, esta é a única gravação de um “brinicle”.

Fontes: bbc, mnn, livescience

Círculos de gelo em rios

Discos de gelo perfeitamente regulares que giram lentamente aparecem em rios de correnteza lenta. Eles se formam devido às correntes de Foucault. Preso neste tipo de corrente, o pedaço de gelo começa a girar. Durante a rotação, as bordas entram em contato com o gelo ao redor, formando um círculo perfeito. O fenômeno é muito visto na Escandinávia, América do Norte, Alemanha, Inglaterra e Rússia.

Fontes: nat-geo, livescience, iflscience

incrivel.club RSS

Compartilhar