FCecon avalia 35 pesquisas sobre câncer, desenvolvidas na instituição

49

Foto: Valdo Leão
Foto: Valdo Leão

  FCecon avalia 35 pesquisas sobre câncer, desenvolvidas na instituição

Os resultados parciais de 35 pesquisas desenvolvidas através da 7ª edição do Programa de Apoio da Iniciação Científica (Paic), da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), serão apresentados a uma banca avaliadora, nos dias 15 e 16 deste mês. As defesas orais serão realizadas na sede da Fundação (rua Francisco Orella, bairro Planalto, zona centro-oeste). O programa recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam).

Dos 35 trabalhos de estudantes de universidades públicas e privadas de Manaus, 24 recebem apoio financeiro através de bolsas cedidas pela Fapeam. Os projetos tiveram início no mês de agosto de 2017 e estão vinculados à Diretoria de Ensino e Pesquisa da FCecon, unidade da Secretaria de Estado da Saúde (Susam). Cada aluno terá dez minutos para defesa diante de uma banca formada por pesquisadores doutores convidados.

As pesquisas tratam de estudos epidemiológicos que buscam entender a frequência e o perfil dos pacientes para determinados tumores; e o grau de estadiamento da doença (evolução dos tumores nos pacientes antes de eles chegarem à Fundação).

A diretora de Ensino e Pesquisa da FCecon, Kátia Luz Torres, explicou que os resultados visam munir a equipe de prevenção e especialistas da instituição, de informações para se trabalhar em pontos de melhorias. De acordo com Torres, entre os temas mais abordados, está o câncer de colo de útero, doença considerada a mais incidente no Amazonas para o sexo feminino e que tem previsão de 840 casos, em 2018, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), subordinado ao Ministério da Saúde (MS).

“Há trabalhos que abordam as formas pelas quais as mulheres obtêm ou não informações sobre a doença, quais meios de comunicação utilizaram, se elas sabiam que existem formas de prevenção, se as famílias sabiam, se as filhas foram vacinadas etc”, disse.

Doutora em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Torres afirmou que o Paic é um programa multidisciplinar, com orientados com perfis e especialidades variadas, como farmacêuticos, odontólogos, médicos, enfermeiros e fisioterapeutas. Além disso, abrange linhas de pesquisa diversas, todas linkadas com as propostas registradas pela FCecon, no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Processo avaliativo – A FCecon publica, anualmente, no mês de agosto, o Edital para submissão de trabalhos ao Paic. Os alunos que submetem projetos passam por um rigoroso processo avaliativo. Na ocasião, são analisados o perfil, currículo e o coeficiente de rendimento escolar do candidato. Quanto ao projeto, é observada a qualidade, a consistência das informações, a relevância e a metodologia utilizada. Por último, o material passa por avaliação do orientador que o acompanhará ao longo do processo.

Kátia Torres destaca que os trabalhos são desenvolvidos durante um ano. Depois dos primeiros seis meses, os alunos apresentam os resultados parciais. Durante a apresentação é avaliado como o estudo está sendo conduzido.

Foto: Valdo Leão / Secom

Retirado de

Powered by WPeMatico

Compartilhar