IV Fórum Empresarial de Drones reúne 250 profissionais

290

Evento em São Paulo teve cinco cursos em paralelo, mostra de drones e a presença da ANAC, DECEA, CREA-SP, ANEA, Polícia Militar, FINEP, entre outras instituições

ff31eca3 006d 4ef9 a223 60181176abcd 400x225 IV Fórum Empresarial de Drones reúne 250 profissionaisA comunidade empresarial do setor de drones esteve reunida no dia 26 de outubro no Hotel Meliá, na capital paulista, para avaliar o momento atual do mercado após a regulamentação, que foi anunciada no início deste ano. Mais de 250 participantes estiveram presentes nas atividades e na visita à mostra de tecnologia, realizada no hotel paralelamente aos cursos e fórum.

Na parte da manhã foi feita a apresentação de uma proposta de Estudo de Mercado do setor, formulada pelo Grupo Datacenso. Depois, representantes da ANAC e DECEA responderam perguntas dos participantes. Roberto Honorato, da ANAC, reafirmou que a agência está sempre aberta a receber sugestões da comunidade. Já o Coronel Vargas, do DECEA, reiterou apoio ao Fórum e destacou que a regulamentação brasileira é robusta comparada a outros países. Demonstrou, ainda, preocupação com a diferença entre o número de drones registrados no sistema da ANAC – mas de 20 mil – e do DECEA – pouco mais de 4 mil. A razão, segundo ele, ainda é o grande desconhecimento das regras por parte da sociedade.

Foi identificado mais um desafio para os empresários que querem usar drones para mapeamento: entender a atual legislação do Ministério da Defesa. Por unanimidade, foi avaliada a necessidade de atualização das leis que regem esta atividade, muito defasadas, sendo que a principal é, ainda, da década de 70. O consenso foi de que o caminho será de flexibilização dos critérios de registros das empresas no Ministério da Defesa e, também de dar mais agilidade na liberação de cada missão. As principais empresas de aerolevantamentos que usam aeronaves tripuladas estiveram presentes ao Fórum, acompanhando as discussões.

“As agências reguladoras estiveram no evento respondendo as dúvidas dos empresários. Após a regulamentação, o setor ganhou segurança jurídica para contratos mais robustos serem assinados, proporcionando a geração de mais negócios”, comenta Emerson Granemann, CEO da MundoGEO, que foi o mediador das discussões do Fórum.

Na parte da tarde, os destaques foram para a presença da Polícia Militar de São Paulo, relatando como está sendo feita a fiscalização dos operadores, além do CREA-SP, que comentou que está preparando recomendações sobre responsabilidade técnica relacionada aos serviços prestados por drones que envolvam as áreas de engenharia.

“Foi destacada, nas discussões, a importância das empresas atuarem dentro da legalidade e que cada vez mais os contratantes passarão a exigir, das contratadas, todas as documentações legais. Este fato, sem dúvida, proporcionará a valorização das empresas que atuam com equilíbrio entre preço, prazo e garantia de segurança na prestação de serviços de qualidade com drones”, comenta Granemann.

O V Fórum Empresarial do setor já está marcado para 2018, no dia 14 de maio, um dia antes da feira DroneShow. Este fórum, cada vez mais, se consolida como porta-voz e principal espaço para formação de opinião do setor empresarial de drones.

Este evento for organizado pela MundoGEO, empresa promotora da feira DroneShow, que na sua terceira edição, em 2017, reuniu em São Paulo (SP) mais de 3 mil participantes, 45 expositores, 30 atividades paralelas e 70 palestrantes. A quarta edição da feira está marcada para 15 a 17 de maio de 2018 na capital paulista.

Informações: www.droneshowla.com / (41) 3338 7789

Fonte: DroneShow

MundoGEO

Compartilhar