Luiz Castro reforça a denúncia sobre a falta de segurança em Borba

48

O deputado Luiz Castro (Rede) voltou a alertar as autoridades para o agravamento da violência no município de Borba, que culminou com a morte brutal de um jovem de 18 anos, acusado de estuprar e matar uma adolescente de 14 anos. A situação, segundo o parlamentar, é de barbárie, que ele já havia denunciado, ao constatar a fragilidade da segurança pública, durante recente visita ao município.

Da tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Luiz Castro relatou mais uma vez a inspeção realizada na Delegacia de Borba, em que verificou a precariedade das condições de trabalho dos policiais. De acordo com o deputado, o contingente de policiais é insuficiente, faltam equipamentos e a cadeia está superlotada com os detentos vivendo em situação humilhante.

“O assassinato da adolescente gerou comoção na cidade e as pessoas invadiram a cadeia, lincharam e atearam fogo no acusado, diante da deficiente segurança em Borba”, enfatizou o deputado, acrescentando que o ato de fazer justiça com as próprias mãos, também é condenável, e que o réu teria que responder pelo crime perante a autoridade judicial.

Luiz Castro disse que o interior do Estado está tomado pela violência e criminalidade, devido à desorganização e falta de controle da segurança. “E não precisava pedir do Rudolph Giuliani um diagnóstico, porque todos nós sabemos da situação de violência no Estado”, criticou o deputado.

Para ele, se o Governo quisesse, poderia melhorar a segurança pública, dando  condições  dignas de trabalho aos policiais, reestruturando o sistema prisional através de parceria público privada. “No entanto, o Estado prefere manter um contrato milionário com a Umanizzare, pagando R$ 5,19 mil por preso, enquanto a média de gasto por detento no País, fica em torno de R$ 3 mil”, afirmou Luiz Castro.

Texto: Assessoria do Deputado

Gabinete do Deputado Luiz Castro (REDE)

Retirado de www.ale.am.gov.br

Compartilhar