O curioso caso da criança que não pode comer nada além de pêssegos

23

Micah Gabriel Masson Lopez, uma criança de dois anos que vive em Montreal, no Canadá, se alimenta apenas de pêssegos. Ele sofre de uma condição grave chamada síndrome de enterocolite induzida por proteína alimentar (FPIES), que causa uma alergia grave de quase todos os alimentos – exceto o pêssego. Além da FPIES, ele sofre de uma imunodeficiência chamada síndrome de DiGeorfe, uma condição genética rara conhecida também como microduplicação 15Q13.3, e que lhe provoca dores diárias.

 

Por esse motivo, todos os meses, seus pais têm que levá-lo a nove especialistas diferentes. Logo, as contas médicas são enormes, bem como o custo de garantir um fornecimento constante de pêssegos, o que pode ser um problema quando a fruta está fora de época em Quebec. Seus pais, que estão tão desesperados, agora lançaram uma campanha de crowdfunding para arrecadar dinheiro para ajudar com as despesas, de acordo com informações da Oddity Central.

menino-que-so-comia-pessego_1

Micah foi diagnosticado com FPIES quanto tinha apenas seis meses. Desde então, sua vida tem sido uma luta constante, especialmente quando o assunto é comida. Mesmo que sua opção mais segura seja o pêssego, a fruta não pode ser consumida de qualquer maneira, ou seja, não podem ser congelados, secos ou enlatados, devido a potencial presença de aditivos. Logo, os pêssegos devem ser orgânicos, sem a presença de pesticidas.

Tal exigência dificulta a disponibilidade de pêssegos nos 365 dias do ano. E mesmo que ocorra, eles não são baratos. “Em Quebec, digamos que os pêssegos são muito difíceis de serem encontrados fora de temporada”, disse sua mãe, Caroline Masson. “Compramos eles a granel e estamos ficando sem dinheiro, pois também precisamos pagar suas necessidades médicas”.  

 

Com mais duas crianças para cuidar, os pais de Micah estão enfrentando dificuldades. E embora a questão do dinheiro seja um fardo, o que eles mais querem é que o menino viva feliz e livre de dores. “O primeiro alimento sólido que testamos foi a banana. Quatro horas depois ele começou a vomitar, seis vezes seguidas, e depois ficou pálido” , disse a mãe.

 

A primeira vez que o vi entrar em choque por uma reação alérgica, não soube o que fazer. Liguei para o serviço de emergência, mas eles não sabiam o que era o FPIES. Então, nós apenas seguramos nosso bebê e choramos com ele durante a noite“.

“Ele é um garoto incrível, com uma personalidade tão amorosa e ama tudo e a todos”, acrescentou. “Ele não teve um começo de vida fácil”.

 

Embora não haja cura para a FPIES, a maioria das crianças que sofrem desta condição parece superá-la em aproximadamente aos quatro anos de idade. Porém, para Micah, esse cenário parece improvável. Isso porque, enquanto a maioria das crianças são alérgicas a 2 ou 3 alimentos, enquanto ele tem 27 alimentos descartados de sua dieta, além de uma série de outros problemas gastrointestinais.

 

Seus pais, no entanto, seguem em busca de outros alimentos seguros. No momento, estão testando caldo de coelho, e os resultados iniciais são encorajadores. Contudo, Micah só consegue comer a metade de uma colher de chá por dia, o que é longe de ser suficiente. Ele também é capaz de tolerar uma fórmula especial de alimentos líquidos, cujo custo será coberto por seu plano de saúde até 2018. A partir deste ponto, ele terá que ser testado novamente para se qualificar para cobertura.

Seus pais agora estão esperando que com os fundos arrecadados possam comprar os pêssegos que Micah precisa, até que consigam um tratamento. A vida gira em torno de fazê-lo o mais feliz que possa ser – e para isso, precisamos ser capazes de lhe dar pêssegos todos os dias“, concluiu a mãe.  

 

O que é a FPIES?

De acordo com o site Alergia à Proteína do Leite de Vaca, a FIPIES (Food Protein Induced EnterocolitisSyndrome) ou Síndrome da Enterocolite Induzida por Proteína Alimentar, é  a mais grave das hipersensibilidades alimentares  gastrointestinais. Os sintomas geralmente aparecem nos primeiros meses de vida logo após a introdução dos alimentos potencialmente desencadeadores, como leite, soja, arroz e aveia. No entanto, também pode ser desencadeada por mais de um tipo de alimento, caracterizando-a muitas vezes como uma reação a múltiplas proteínas.

[ Oddity Central ] [ Fotos: Reprodução: Oddity Central ]

O post O curioso caso da criança que não pode comer nada além de pêssegos apareceu primeiro em Jornal Ciência.

Jornal Ciência

Compartilhar