“Operação Esperança” do Governo do Amazonas para combater o trabalho infantil vai continuar por todo dezembro

74

“Operação Esperança” do Governo do Amazonas para combater o trabalho infantil vai continuar por todo dezembro

“Operação Esperança” do Governo do Amazonas para combater o trabalho infantil vai continuar por todo dezembro
“Operação Esperança” do Governo do Amazonas para combater o trabalho infantil vai continuar por todo dezembro



Com objetivo de garantir os direitos de crianças e adolescentes que estão em situação de rua, mendicância e de trabalho infanto-juvenil, o governador Amazonino Mendes determinou que a Operação Esperança com o slogan “Esmola não Traz Dignidade”, que coíbe a permanência desse público nos semáforos, seja estendida por todo o mês de dezembro.
A ação, lançada no último dia 27, pelo vice-governador e secretário de Segurança Pública do Amazonas, Bosco Saraiva, reiniciou neste sábado (02/12). Em torno de 30 mil condutores de veículos  receberam abordagem educativa em pontos estratégicos das zonas centro-sul, sul e centro de Manaus.
“Para que esta operação tenha sucesso, o apoio da população é fundamental no sentido de não comprar produtos, não pagar por serviços e nem dar esmola para essas crianças e adolescentes que estão vulneráveis. Esse é um trabalho que vai além da abordagem e da retirada do público-alvo dos semáforos. O governo, também,  irá acompanhar às famílias porque muitos desses são incentivados pelos pais a irem  às ruas em busca de arrecadação”, destacou Bosco Saraiva.

Para a dona de casa, Marlene Negrão, a iniciativa é ótima e contribui para que crianças saiam das ruas, pois estão à mercê de bandidos e outros riscos como estupros e prostituição. “O Governo está de parabéns, mas o ideal é que os pais, também, contribuam não deixando elas sem atenção. O certo é que vão para a  escola. A sociedade pode ajudar de outra forma e acredito que dar esmola não é o caminho”.

Segundo o secretário da Sejusc, Clizares Santana, desde o lançamento da ação, diminuiu o número de crianças e adolescentes nos locais onde aconteceram as abordagens. “Hoje mesmo, abordamos três na esquina da Constantino Nery com Lóris Cordovil que estavam fazendo malabares e os encaminhamos para as suas casas onde conversamos com os responsáveis”, informou.
“A Seas articula um conjunto de atividades que contribuem para o enfrentamento do trabalho infantil de forma a obtermos resultados importantes ao final desta operação”, explica a secretária da Seas, Auxiliadora Abrantes Pinto.
A operação é integrada entre as Secretarias de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM); Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc); de Assistência Social (Seas); Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA) e Polícia Civil.

A ação conta ainda com a parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semmasdh), do Ministério Público do Trabalho (MPT), do Conselho Tutelar e de instituições diversas como a Associação Beneficente O Pequeno Nazareno, o Lar Batista Janell Doyle, a comunidade terapêutica Desafio Jovem e a Associação Philippe Sócias.

FOTOS : DEIVULGAÇÃO/SEJUSC

Retirado de

Powered by WPeMatico

Compartilhar