Site Página 107

Drones são testados para monitorar ninhos de tartarugas em praias da Amazônia

0

Localizada às margens do Rio Solimões, no estado do Amazonas, a praia do Horizonte é uma faixa de areia com atuais 9 km de extensão – que variam de tamanho diariamente. É um ponto de desova para centenas de quelônios, entre tartarugas-da-amazônia, iaçás e tracajás, e também foco de interesse de pesquisadores e ativistas. Pensando na proteção de áreas de reprodução como essa, o Instituto Mamirauá, a WWF-Brasil e a Universidade da Flórida testam o uso de drones para o trabalho de monitoramento na área.

Controlado de forma remota por um piloto integrante da pesquisa, o drone realizou percursos aéreos a diferentes altitudes, filmando e fotografando com uma câmera de alta definição o relevo da praia. A ideia, de acordo com a pesquisadora Marina Secco, é identificar rastros de tartarugas na areia e, assim, chegar até os ninhos.

“Conseguimos ver perfeitamente os rastros de tartarugas-da-amazônia na areia, que do alto parecem marcas feitas por um tratorzinho. As marcas da iaçá, que é um quelônio de menor porte, também foram nítidas”, comentou Marina.

Os voos-teste foram realizados na faixa de 11 às 14 horas, quando os raios do sol chegam à superfície da terra em ângulos mais próximos a 90 graus, facilitando ainda mais a visibilidade. Os melhores resultados foram gravados a 20 metros de altura em relação à praia.

“Com o possível sucesso desses experimentos, esperamos em breve poder usar drones para contagem de ninhos”, indica Marina, que faz parte do Programa de Pesquisa em Conservação e Manejo de Quelônios do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Tecnologia a serviço da conservação

Desde a década de 1990, o instituto apoia ações de conservação de quelônios realizadas de forma voluntária por moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, onde está a praia do Horizonte. A conservação comunitária de praias, que envolve a contagem e monitoramento de ninhos de tartaruga, está nesse rol e pode ser ampliada com o auxílio dos drones.

“Uma das vantagens da tecnologia é reduzir o tempo gasto no monitoramento de uma única praia e distribuir melhor os esforços para encontrar novas áreas de desova nessa região. Em pontos de difícil acesso, também podemos usar os drones para fazer a contagem remota de ninhos dos quelônios”, explica Marina Secco.

Além das metas diretamente ligadas à conservação, a pesquisadora aponta que os veículos aéreos não tripulados também podem ser úteis em estudos mais amplos sobre a ecologia de quelônios na Amazônia. A ferramenta tem potencial em levantamentos de altimetria (medição de altitudes) em pontos de desova nas praias.

Próximos passos

Os vídeos e as fotos captados na praia do Horizonte estão agora sob a análise de equipe da Universidade da Flórida, parceira do projeto.

“A ideia é ver em que medida os pesquisadores de lá conseguem identificar os rastros de tartarugas e os ninhos nas imagens, qual a taxa de erro entre a contagem in loco (feita pelos pesquisadores do Instituto Mamirauá na praia) e a contagem feita por eles nas imagens”, explica Marina.

Os testes foram financiados pela Disney Conservation Fund, Rufford Foundation e tem apoio da WWF-Brasil.

Depois da avaliação dos resultados, a expectativa dos integrantes do projeto é que os drones possam ser integrados a projetos de conservação na região amazônica.

http://revistaamazonia.com.br/category/variedades/feed/

Ônibus urbanos elétricos eCitaro da Mercedes-Benz chegam a Heidelberg e Mannheim

0

• Previsão é que cada veículo percorra 200 quilômetros por dia

• Os ônibus eCitaro estão operando no centro histórico da cidade de Heidelberg e no distrito Franklin de Mannheim

• eCitaro concretiza o conceito operacional da Daimler Buses para eletrificação do transporte coletivo urbano

No dia 7 de janeiro, na Alemanha, a empresa Rhein-Neckar-Verkehr GmbH (RNV) colocou em operação três ônibus elétricos da MercedesBenz. Na garagem de Mannheim, Till Oberwörder, chefe da Daimler Buses, e Martin in der Beek, diretor executivo da RNV, apresentaram os novos eCitaro na presença do Dr. Peter Kurz, prefeito de Mannheim, e de Christian Specht, vice-prefeito de Mannheim, e depois na presença do professor Eckart Würzner, prefeito de Heidelberg.

“O eCitaro está redefinindo o transporte convencional de ônibus e constitui, para nós, o símbolo do transporte público orientado ao futuro. Fazer uma abordagem ampla é muito importante. É por isso que reunimos um pacote de soluções, que compreende o veículo, o gerenciamento da carga elétrica e a consultoria com a qual estamos dando apoio à empresa de transporte em seu esforço para eletrificar seus ônibus”, diz Till Oberwörder.

Martin in der Beek vê a eletrificação dos transportes de ônibus como uma meta da empresa: “Para nós, a eletromobilidade é a essência em tecnologia de sistemas de condução modernos, ecologicamente corretos e sustentáveis. Nossos trens urbanos servem o sistema de transporte público local de maneira eletrificada há mais de 100 anos. Agora, precisamos fazer o mesmo com os ônibus, e o eCitaro dará aos nossos veículos uma cara inteiramente nova, proporcionando melhora da qualidade do ar na área servida pela RNV”.

Os prefeitos Dr. Peter Kurz e Prof. Eckart Würzner elogiaram o compromisso de longo alcance da RNV com relação ao tráfego urbano ecologicamente correto. “O sistema local de transporte público de Mannheim representa um conceito que compreende tanto ônibus quanto trens. Portanto, a eletrificação de ônibus é agora, um marco de progresso importante rumo a uma cidade limpa e que tornará o transporte público significativamente aprimorado”, diz o Dr. Peter Kurz.

“Estamos encantados de ver que chegaram os ônibus eCitaro. No final de janeiro, o primeiro serviço de ônibus elétricos da região poderá entrar em operação. Isso constitui um passo importante rumo a transportes locais livres de emissões. Esperamos que a produção desses ônibus decole”, afirma o Prof. Eckart Würzner.

Primeiro ônibus elétrico da região metropolitana do Reno-Neckar

O primeiro serviço de ônibus totalmente elétrico eCitaro de Heidelberg vai da estação ferroviária principal, via Seegarten, até Karlsplatz e depois, para a estação ferroviária urbana de Altstadt. A rota passa pelo centro da cidade a cada 20 minutos e está previsto, futuramente, que dois veículos cubram a rota de quatro quilômetros com 12 pontos de parada. Uma das rotas dos ônibus elétricos de Mannheim sai da estação ferroviária de Käfertal e passa pela Wasserwerkstraße até o bairro Franklin. A outra rota, começa em Platz der Freundschaft e termina no novo centro industrial Taylor. Um eCitaro vai operar em cada uma dessas rotas.

Em Heidelberg, os veículos estarão nas ruas entre 9 e 22 horas e em Mannheim, entre 6 da manhã e meia noite. Isso corresponde a mais de 200 quilômetros por dia por veículo. As baterias de lítio-íon com capacidade total de 243 kWh receberão a carga elétrica para funcionamento. O design das baterias é modular, compreendendo 10 módulos cada, com uma potência de 25 kWh. Além de seis módulos de baterias no teto do veículo, quatro módulos na traseira assumem o papel do sistema de condução com a combinação do motor de combustão e transmissão.

Tecnologia de carga na garagem

Com sua tecnologia de carga de energia elétrica, o eCitaro se adequa às condições existentes na RNV. A meta de 200 km ou mais por dia pode ser alcançada com uma carga rápida durante os intervalos de operação. Enquanto estes ocorrem, outro eCitaro ficará em operação em Heidelberg e Mannheim.

http://revistaamazonia.com.br/category/variedades/feed/

Por uma agricultura mais sustentável

0

O conceito de agrofloresta – ou Sistema Agroflorestal (SAF) – surgiu com base nos princípios da permacultura e com a intenção de se produzir alimentos e combustíveis ao mesmo tempo em que protege a biodiversidade, combate a degradação ambiental e reduz os efeitos das mudanças climáticas, permitindo o uso multifuncional da terra. O método permite três abordagens básicas, que mesclam árvores e plantas nativas, cultura e criação de animais.

O SAF se baseia em técnicas ancestrais de produção de alimentos, aliando conhecimentos científicos de ecofisiologia vegetal e suas interações com a fauna, o clima e as comunidades que vivem em áreas próximas. Graças à complementaridade das espécias, os sistemas agroflorestais têm potencial de produtividade muito superior aos sistemas tradicionais (sem árvores), pois a competição por recursos (luz, água e nutrientes do solo, por exemplo) varia com relação a cada espécie.

A incorporação de árvores em pastagens ou sistemas de cultivo promove a criação de microclimas em faixas de proteção, o que é bastante favorável ao crescimento das plantas, já que a temperatura adicional do ar e do solo pode prolongar a estação de desenvolvimento, resultando em ganhos de crescimento e produtividade. Durante os períodos mais quentes, a presença de árvores e o efeito das sombras podem reduzir a perda de água do solo, limitando as taxas de evapotranspiração das plantas.

O sistema agroflorestal utiliza os pilares da sustentabilidade como alicerces, considerando aspectos sociais, econômicos e ambientais, e todo o esforço se dá no sentido de utilizar os conhecimentos humanos e as técnicas de manejo à serviço da terra, e não o contrário, ou seja, adequar a produção ao espaço.

Para o artista e pesquisador Jorge Menna Barreto, a maior diferença entre as agroflorestas com relação às culturas tradicionais está em observar e escutar o que o local tem para oferecer.

– Contrariando a lógica agrocultural de plantarmos o que queremos comer, “corrigindo” o solo para que se adapte à nossa demanda. A agrofloresta inclui o humano como um catalisador dos processos florestais, que produz mais alimentos e acelera os processos de regeneração do solo. O agrofloresteiro é um escultor, que decide onde ele gostaria que os raios de sol incidissem e, assim, organiza a produção de alimentos, que não servem apenas para os humanos, mas para todos os habitantes da floresta – explica.

Jorge Menna Barreto foi responsável pelo Projeto Restauro, que, entre suas ações, trouxe a criação de restaurante na 32ª Bienal de Arte de São Paulo, que oferecia pratos elaborados com ingredientes extraídos de agroflorestas, unindo o ato de se alimentar a uma experiência multisensorial e despertando nos visitantes para a consciência ambiental, social, econômica e política da alimentação.

Com técnicas agroflorestais de uso da terra, SC é pioneira em extração de açaí da palmeira-juçara

Árvore nativa da Mata Atlântica, a palmeira-juçara está presente em 30% do território catarinense. Sua existência é fundamental para o equilíbrio ecológico do bioma, e sua importância econômica fez com que entrasse na lista de espécies ameaçadas de extinção por conta da extração do palmito (prática considerada crime ambiental desde 1998 pela Lei 9.605).

Com a proibição, novos estudos e técnicas de manejo com base nos princípios agroflorestais foram propostas para as comunidades que viviam da extração do palmito juçara. Nesse processo, descobriu-se a importância nutritiva do açaí (que possui maior valor nutricional – mais vitaminas e minerais – que a fruta típica do Norte do Brasil), fruto da palmeira-juçara, e do seu valor econômico. Com isso, vem-se trabalhando na inserção do açaí no contexto do desenvolvimento socioeconômico de pequenos produtores rurais catarinenses e também de tribos indígenas que têm a coleta de frutas nativas e o cultivo agrícola de subsistência como modo de vida.

Santa Catarina é autossuficente em açaí, e seu manejo, extração e comercialização nas regiões Sul e Sudeste são uma alternativa sustentável ao açaí nortista. Além de gerar emprego e renda para comunidades do Estado, o açaí daqui evita o altíssimo consumo de combustíveis, reduzindo os impactos socioambientais do transporte do fruto ou sua polpa desde a região Norte.

O produtor e pesquisador Germano Tedesco trocou a produção de maçãs na Serra Gaúcha pelo açaí catarinense, cuja importância foi tema de sua dissertação de mestrado.

– Durante a pesquisa, o encontro com as aldeias indígenas me fez ter conhecimento da carência de atividades econômicas que estivessem alinhadas com o estilo de vida dessas pessoas e que, ao mesmo tempo, pudesse desenvolver o potencial de jovens da região, que poderiam trabalhar com a extração dentro das terras indígenas. A partir disso, passei a analisar formas de introduzir o cultivo da planta nesses locais, como a terra indígena Ibirama-La Klãnõ – explica.

Para o pesquisador, o maior diferencial da extração do açaí juçara é a possibilidade de aliar cultivo sustentável e geração de renda.

– O desenvolvimento do açaí em SC favorece desde as aldeias indígenas, que possuem poucos recursos para explorar dentro de suas terras, e pequenos produtores, até, e principalmente, as áreas de preservação permanente, que podem gerar receita mesmo em estado de conservação, evitando sua degradação – conclui.

As agroflorestas oferecem uma abordagem mais integrada e sustentável de gestão agrícola e proteção da natureza. Ao mesmo tempo em que potencializam os ganhos com a produção, movimentando a economia das comunidades produtoras, proporcionam proteção às espécies nativas da fauna e da flora e minimizam os usos de recursos e os impactos ambientais.

http://revistaamazonia.com.br/category/variedades/feed/

Seap impede entrada de 700g de entorpecentes e de celular nos presídios

0

Neste fim de semana, os agentes da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) impediram a entrada de 700 gramas de entorpecentes nas unidades prisionais de Manaus.

No sábado (12/01), duas mulheres foram flagradas tentando entrar com entorpecentes no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) e também um homem, no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM). As drogas estavam escondidas nas partes íntimas.

Neste domingo (13/01), uma visitante foi descoberta no Ipat com celular e chip dentro do sutiã.

Os materiais ilícitos foram descobertos durante procedimento de revista, por meio do BodyScan, uma espécie de raio-x instalado em todos os presídios do Amazonas. Os quatro tiveram o cadastro de visitação cancelados e foram encaminhados para a delegacia.

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Polícia Militar detém quarteto suspeito de furto a agência bancária

0

Policiais Militares da 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) detiveram quatro homens suspeitos de furto a uma agência bancária, na avenida Tefé, Japiim, zona sul, no início da tarde deste domingo (13/01).

 A equipe recebeu informação de que o alarme da agência havido sido acionado. No local, os policiais militares se depararam com suspeitos que estavam com três revólveres calibre 38 e dois coletes balísticos.

 Os coletes são da empresa de segurança que presta serviço para a agência. Os equipamentos estavam em um cofre que já havia sido arrombado quando a equipe da 3ª Cicom chegou ao local do crime.

 Segundo os policiais militares, os suspeitos usaram um equipamento chamado de esmerilhadeira que foi utilizado para abrir os cofres e uma marreta para quebrar a parede da agência. Os suspeitos entraram pela cobertura e planejavam sair por esse buraco na parede.

 O quarteto e os materiais apreendidos foram levados para o 1° Distrito Integral de Polícia (DIP).

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Vice-governador e secretário de Saúde inspeciona Maternidade Ana Braga durante a madrugada

0

 

O vice-governador e secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida Filho, inspecionou a Maternidade Ana Braga, na madrugada deste domingo (13/01) e constatou falta de leitos de Unidade de Terapia intensiva (UTI), de medicamentos e insumos e de ar condicionados em alguns ambientes, além de má acomodação de pacientes e acompanhantes.

“Alguns pontos são bastante complicados, como a ausência de UTI em funcionamento. A questão do albergado é muito crítica, e a própria enfermagem, que precisa de um apoio, tanto para o conforto dos acompanhantes, quanto para os pacientes. E se observou um problema muito sério de refrigeração aqui, além do crônico problema da falta de medicamentos e insumos”, disse o secretário.

Com relação à regularidade dos pagamentos de terceirizados, Almeida afirmou que vai analisar os contratos para fazer um levantamento sobre os pagamentos de fornecedores e terceirizados, a fim de constatar os atrasos. “Ao que nos consta, fornecedores terceirizados se encontram nessa situação, nós precisamos fazer esse levantamento”, disse.

Outro ponto observado durante a inspeção foi o atendimento de mães e bebês que precisam de transferência para tratamentos em outras unidades de saúde, como é o caso dos cardiopatas. “Algumas crianças precisam de tratamento no Hospital Francisca Mendes e se encontram há meses esperando”, comentou.

Uma das providências a serem tomadas é a organização do fluxo da rede de saúde, segundo Almeida. “Isso precisa ser feito em conjunto e nós vamos fazer o máximo de esforço para que isso funcione”, destacou.

A secretária executiva da Susam, Vanessa Nascimento, classificou o estado da maternidade como “caótica”. “Nós temos problemas estruturais, de abastecimento e de equipamentos”, salientou.

Para ela, o primeiro passo é ouvir os profissionais que estão em contato direto com a população para entender as necessidades para um bom funcionamento da unidade de saúde. “E assim criar um método para que a gente possa identificar todos os problemas e as possíveis soluções, bem como classificá-las no grau de emergência e naquilo que vai poder esperar para poder trabalharmos ao longo desses quatro anos”, explicou. Segundo a secretária executiva da Susam, as maternidades vão ter prioridade de tratamento na atual gestão.

 Futuras inspeções – As inspeções nas unidades vão continuar e devem acontecer semanalmente ou em períodos com menor tempo de intervalo, de acordo com o vice-governador e secretário de Saúde. “O objetivo é constatar a rede em funcionamento. Então, os horários e as constatações são feitos em momentos aleatórios, sem hora marcada”, destacou.

Inspeções anteriores – O secretário já esteve com a equipe no Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, Complexo Regulador e Central de Medicamentos do Amazonas (Cema).

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Sine-AM oferece 33 vagas de emprego nesta segunda-feira (14)

0

A Secretaria de Estado do Trabalho do Governo do Amazonas (Setrab-AM), por meio do Sistema Nacional de Empregos (Sine-AM), está ofertando 33 vagas de emprego nesta segunda-feira (14/01).

Há cinco vagas para auxiliar de linha de produção direcionadas a pessoas com deficiência (PCDs), quatro vagas para o segmento de restaurante exigindo ensino superior, e uma vaga para analista de Recursos Humanos com seis meses de experiência.

Os interessados devem comparecer na sede da Setrab, localizada na avenida Djalma Batista, nº 1018, (entre o Amazonas Shopping e o Manaus Plaza Shopping), das 8h às 14h. É necessário estar com os documentos pessoais, como RG, CPF, PIS, CTPS, incluindo comprovante de residência e escolaridade.

 

(5) VAGAS: AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência com carga e descarga, com entrega de produtos será um diferencial, disponibilidade de horário (trabalhar aos sábados), com todos os documentos e laudo médico atualizados,

(2) VAGAS: SUPERVISOR DE RESTAURANTE (COORDENADOR DE RESTAURANTE)

ESCOLARIDADE: Ensino Superior completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.:Organizado, criativo, boa desenvoltura e comunicação no atendimento ao público e restaurante, superior completo em adm, rh e afins, conhecimento básico de excel, disponibilidade de realizar viagens, excelente consumição.

(2) VAGAS: GESTOR DE RESTAURANTE (GERENTE DE RESTAURANTE)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio Superior.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Organizado, criativo, boa desenvoltura e comunicação no atendimento ao público e restaurante, superior completo em adm, rh e afins, conhecimento básico de excel, disponibilidade de realizar viagens, excelente consumição.

(1) VAGA: ANALISTA DE RECURSOS HUMANOS

ESCOLARIDADE: Ensino Superior completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Organizado, criativo, boa desenvoltura e comunicação no atendimento ao público e restaurante, superior completo em Adm, RH e afins, conhecimento básico de excel, disponibilidade de realizar viagens, excelente consumição.

 

(1) VAGA: ELETRICISTA DE VEÍCULOS DE PASSEIO

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Curso de eletricista.

(1) VAGA: MECÂNICO DE CARRO DE PASSEIO

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Cursos na área.

(1) VAGA: ALINHADOR DE VEÍCULOS

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Cursos na área.

(1) VAGA:  COZINHEIRO INDUSTRIAL (SUPERVISOR DE COZINHA INDUSTRIAL)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Com conhecimento em cardápio, produção, percapta, liderança, conhecimento nas matérias primas de alimentação. possuir curso de técnico de nutrição. que seja disponível em horário. com experiência em cozinha industrial.

(2) VAGA:  MONTADOR (PCD)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: Sem experiência.

OBS.: Disponibilidade de horário e possibilidade de trabalhar em pé.

(1) VAGA: MOTOQUEIRO

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Com moto própria e disponibilidade de horário.

(1) VAGA: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Disponibilidade de horário.

(1) VAGA: OPERADOR DE CAIXA

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Disponibilidade de horário, noções de informática e curso de atendimento ao público.

(2) VAGA: AJUDANTE DE OBRAS (PCD)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Documentação completa e laudo atualizado.

(1) VAGA: VENDEDOR INTERNO

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência no ramo de sapatos e disponibilidade de horário.

 

(1) VAGA:  AUXILIAR DE PRODUÇÃO (PCD)

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: Sem experiência.

OBS.: Visão e audição parcial, disponibilidade de horário, para trabalhar com peças minúsculas em maior parte do tempo em pé

(1) VAGA:  AJUDANTE DE OBRAS  (PCD)

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Com documentação completa e laudo medico atualizado.

 

(1) VAGA:  AUXILIAR ADMINISTRATIVO (PCD)  

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo ou cursando.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Com conhecimento básico em informática, com laudo atualizado.

 

(1) VAGA: PINTOR DE LETREIRO

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência em abrir letras, com disponibilidade de horário;

 

(1) VAGA: CHEFE DE SERVIÇOS DE LIMPEZA/ SUPERVISOR DE LIMPEZA

ESCOLARIDADE: Ensino Superior Incompleto.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Proativo, liderança, disponibilidade de horários, conhecimento em compras, controle de NFS, experiência, com relatórios e apresentação de resultados, experiência com gestão de equipe de limpeza será um diferencial;

(1) VAGA:  ELETRICISTA DE VEÍCULOS PESADOS

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência comprovada (ônibus e carreta);

(1) VAGA: COSTUREIRO EM GERAL

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental incompleto.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência em maquina industrial overloque, galoneira, elastiqueira, que saiba costurar bolso embutido, zíper, gola careca, manga e uniformes;

 

(1) VAGA:  VIGILANTE (PCD)   

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses (Não obrigatório)

OBS.: Curso de vigilante e com laudo atualizado.

 

(1) VAGA:  CHAPEIRO

ESCOLARIDADE: Ensino Médio completo.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Lanches em geral, com conhecimento de sucos e café da manhã.

(1) VAGA:  COPEIRO INDUSTRIAL

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Com experiência em cozinha industrial.

(1) VAGA:  AÇOUGUEIRO

ESCOLARIDADE: Ensino Fundamental.

EXPERIÊNCIA: 06 meses.

OBS.: Experiência em cortes, temperagem, limpeza e conhecimentos específicos da área de cozinha industrial. documentação atualizada.

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Policiais da 10ª CIPM detêm três suspeitos de furto de gado em área rural de Maués

0

Uma equipe da 10ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) de Maués (a 268 km de Manaus em linha reta) deteve, na manhã deste domingo (13/01), três homens suspeitos de furto de gado de uma propriedade rural localizada na comunidade do Mucura, zona rural do município. A vítima informou aos policiais, por volta das 4h, que os suspeitos estariam escondidos em uma comunidade próxima da fazenda. Desde a semana passada, a Polícia Militar acompanha denúncias de moradores sobre roubo de gado no município.

No local informado, os policiais detiveram os três suspeitos e apreenderam armas de fabricação caseira. O trio foi conduzido pela 10ª CIPM para a 48ª Delegacia Interativa de Polícia de Maués, onde permanece preso à disposição da Justiça. De acordo com informações do Sistema Integrado de Segurança, um dos suspeitos é foragido da Unidade Prisional de Maués.

 Operação – O comandante da 10ª CIPM, capitão Laurênio Silva, informou que, nesta segunda-feira (14/01), será iniciada no município a “Operação Raio”. Na oportunidade, serão feitas ações com motos e carros da Polícia Militar por diversas localidades da cidade. “Durante a semana, as rondas serão ostensivas para inibir qualquer ato criminoso e, principalmente, os assaltos que estão ocorrendo na cidade”, declarou Laurênio.

Segundo o comandante, cada localidade será patrulhada para manter a segurança do cidadão mauesense. “Pedimos a colaboração de todos, que façam suas denúncias e procurem a Delegacia da Polícia Civil e registrem o Boletim de Ocorrência, para que assim todos possam ter mais segurança”, ressaltou.

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Calendário anual e captação de recursos são prioridades para a Sejel e federações

0

Em reunião com dirigentes das modalidades, olímpicas e não olímpicas, na sala de coletivas da Arena da Amazonia, a Secretaria de Estado da Juventude, Esportes e Lazer (Sejel) determinou a todos que recebem apoio da pasta a construção do calendário anual de atividades. “É importante para nos programarmos. Temos poucos recursos, porém novas estratégias. Uma delas é a captação de recursos. Para isso, precisamos do calendário, pois iremos capacitar esses gestores para que se tornem o mais independentes possível”, afirmou o titular da Sejel, Caio André.

Além dos dirigentes da Sejel, participaram da reunião, entre outros, os gestores das modalidades: handebol, futsal, basquete, vôlei, atletismo, luta livre, luta olímpica, jiu-jítsu, boxe, motovelocidade, levantamento de peso, judô, muay thai, tiro com arco e paradesporto, que inclui diversas modalidades em si. “Esse é um primeiro encontro, pois não podemos receber de um por um no gabinete. Algumas diretrizes foram traçadas, algumas metas estabelecidas e agora é trabalhar para executar”, disse Caio André.

Entre as principais reivindicações das federações estão as passagens aéreas e também a disponibilização da Arena Amadeu Teixeira para a realização dos eventos. Para ambas reivindicações, o secretário anunciou a elaboração, com a participação de todos o dirigentes, de um documento que regule e garanta a acessibilidade igualitária a todos. “A Sejel tinha dificuldades em diversas situações, mas nós vamos ser justos com todos porque todos vão participar da elaboração das regras. Vamos evoluir inclusive com a obrigatoriedade do calendário anual de atividades de todas as modalidades”, garantiu o secretário.

Capacitação de gestores – Quanto às constantes dificuldades financeiras, uma das soluções seria a captação de recursos junto ao governo federal, possibilidade para todas as entidades, desde que as mesmas atendam aos critérios do Ministério dos Esportes e consigam seguir os ritos burocráticos. “Vamos capacitar os gestores a fazer o mesmo que a federação de Tiro com Arco fez, que, nesse sentido, é um exemplo para as demais. As modalidades precisam a andar com as próprias pernas e vamos nos esforçar para que isso ocorra”, frisou o titular da Sejel.

Para os que atenderam ao convite e compareceram à reunião, a iniciativa do novo gestor Caio André vem ao encontro dos anseios dos dirigentes, principalmente das modalidades não olímpicas, mas que desempenham importante papel social, visto a quantidade de jovens praticantes e os resultados obtidos. “Essa visão macro que o Caio André tem é importante porque valoriza o trabalho de todos e que dá oportunidades a todos e não apenas para alguns”, agradeceu Rildo Eros, da Federação de Jiu-Jitsu.

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/

Defesa Civil do Amazonas realiza monitoramento diário em todas as calhas do Amazonas

0

 A Defesa Civil do Estado do Amazonas integra o Sistema Nacional de Proteção à Defesa Civil e realiza as ações de monitoramento por meio do Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa), que acompanha a subida diária dos rios da região e fronteiriços que influenciam diretamente na Bacia Amazônica. Esse monitoramento hidrológico é realizado através de 23 estações automáticas e liminimétricas, estrategicamente localizadas em cada calha, que compõem a rede de monitoramento da Agência Nacional de Água (ANA) e do CPRM Serviço Geológico do Brasil. A integração com os municípios é realizada através de seus agentes de Defesa Civil que são capacitados para atender de forma rápida ao desastre.

Atualmente, todas as calhas que formam a Bacia Amazônica (Juruá, Purus, Alto Solimões, Médio Solimões, Rio Negro, e Baixo Amazonas) encontram-se em processo natural de enchente, que é um evento cíclico (que se repete em determinados períodos do ano) e sazonal (próprio de uma estação), com níveis elevados para o período.

 Em Tabatinga (Alto Solimões), a maior enchente registrada deu-se no dia 28 de maio de 1999, atingindo 13,82 m. Hoje (13/01), o nível registrado foi 9,99 m, faltando 3,83 m para atingir a cota máxima. Em Lábrea (Purus), onde a maior enchente foi registrada no dia 13 de abril de 1997, atingindo a máxima de 21,79m. Hoje, o nível registrado foi de 18,72m, faltando 3,07 m para atingir a cota máxima. Em Fonte Boa, os níveis atuais são os maiores observados para os meses de janeiro da série histórica.

 O secretário executivo da Defesa Civil do Estado, tenente-coronel Francisco Máximo, explica que, de forma preventiva, os municípios devem manter atualizados seus cadastros de (pessoas, famílias e comunidades) e o mapeamento de áreas de risco que podem ser afetadas pelo desastre, uma vez que não necessita atingir a cota histórica para que comunidades comecem a ser afetadas. Ele explica que é de suma importância colocar em prática as diretrizes contidas no Plano de Contingência, que é o documento onde se registra o planejamento elaborado previamente a partir de estudos de um ou mais cenários de risco de desastre e estabelece os procedimentos para ações de resposta, de forma a atender o que determina a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Ele explica que o Estado de Atenção é o estágio inicial para que os coordenadores municipais de defesa civil possam se planejar, articular e mobilizar, para atender de forma rápida a população que se encontra vulnerável a uma ameaça causada por um eventual desastre. No Estado de Alerta, o município inicia a primeira resposta às populações afetadas, conforme avaliação do estágio de evolução do evento extremo, danos e prejuízos, podendo ou não decretar situação de emergência.

 Capacitação no interior – A Defesa Civil do Amazonas auxilia e orienta os municípios a atuarem preventivamente na possibilidade de ocorrências de eventos extremos. Umas dessas ações executadas pelo órgão foi a capacitação de gestores de 41 municípios, no final de 2018. A capacitação integrou o plano de ações de prevenção e de resposta e elaboração do Plano de Contingência e plano detalhado de resposta.

 “Quando a capacidade de atendimento do município se esgota, a Defesa Civil do Estado promove as articulações necessárias para apoiar as necessidades essenciais decorrentes dos danos provenientes do desastre, coordena as ações de preparação, mitigação e de resposta para superar os danos”, informou Francisco Máximo.

http://www.amazonas.am.gov.br/feed/