Blog Page 13

Zona Franca de Manaus auxilia na preservação da floresta amazônica

0

A argumentação de que a Zona Franca de Manaus promove a harmonia entre a conservação ambiental na Amazônia e ações de desenvolvimento pode ser comprovada cientificamente por estudos.

A importância estratégica da Amazônia para o Brasil e para o mundo e a necessidade incondicional de sua preservação, temas recorrentemente destacados pelo presidente da Republica, Jair Bolsonaro, em discurso realizado nesta terça-feira (24)

Na abertura dos Debates Gerais da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, guardam relação direta com o trabalho desenvolvido pela Suframa na administração da Zona Franca de Manaus (ZFM) – modelo de desenvolvimento regional mais exitoso da história do País.

Criada há mais de 50 anos pelo governo brasileiro, a Zona Franca de Manaus foi estabelecida, originalmente, para ser um centro industrial, comercial e agropecuário dotado de condições econômicas que permitissem seu desenvolvimento, diante dos fatores locais e das grandes distâncias dos centros consumidores de seus produtos.

No entanto, especialmente a partir da implementação e da ampliação das operações do Polo Industrial de Manaus (PIM), a ZFM passou a gerar uma externalidade ambiental positiva, a qual, ainda que não intencional, uma vez que o modelo foi criado essencialmente com a lógica do desenvolvimento e da integração nacional, exerceu influência decisiva para a preservação da floresta amazônica ao longo das últimas décadas.

A argumentação de que a Zona Franca de Manaus promove a harmonia entre a conservação ambiental na Amazônia e ações de desenvolvimento pode ser comprovada cientificamente por estudos como o livro “Impacto virtuoso do Polo Industrial de Manaus .

Sobre a proteção da floresta amazônica: discurso ou fato?”, desenvolvido nos anos de 2009 e 2010 por pesquisadores das universidades federais dos Estados do Amazonas e Pará, do Instituto Piatam e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), com resultados avaliados, ainda, por pesquisadores dos Estados Unidos, Europa e América Latina.

Neste estudo, avaliou-se o impacto do PIM na proteção da floresta em território amazonense em dois períodos distintos: até 1997 e entre 2000 a 2006, tendo como base os dados disponíveis sobre desmatamento no Estado.

O estudo apurou que, no período de 2000 a 2006, quando a base de dados sobre o desmatamento na região passou a ter continuidade e consistência, a pressão sobre a floresta amazônica diminuiu entre 70% e 77%, em razão, fundamentalmente, da existência do Polo Industrial de Manaus. Com isso, demonstrou-se cientificamente que o modelo ZFM contribui para diminuir a pressão sobre os recursos ambientais e evitar o desmatamento da floresta amazônica.

Atualmente, o modelo ZFM é reconhecido nacional e internacionalmente como exemplo bem-sucedido de desenvolvimento e de conservação de sua área de atuação – Estados da Amazônia Ocidental e municípios de Macapá e Santana, no Estado do Amapá – em bases sustentáveis.

Somente o Estado do Amazonas, mesmo após mais de quatro décadas de atividades industriais intensas, mantém preservada aproximadamente 98% de sua cobertura vegetal, marca inigualável que prova que é possível harmonizar alto grau de avanço tecnológico e respeito ao meio ambiente.

Indiscutivelmente, a preservação da floresta amazônica garante inúmeros benefícios para o Brasil e para o mundo. A Suframa, Autarquia do governo brasileiro vinculada ao Ministério da Economia, irá continuar empenhada no compromisso de garantir não apenas a sustentabilidade da região e seu progresso socioeconômico, mas também a estabilidade e o fortalecimento da Zona Franca de Manaus, principal agente de preservação deste patrimônio da humanidade.

Conexões Culturais 2019 encerram nesta quarta (18) as inscrições  

0

Na próxima quarta-feira, 18/9, encerra o prazo para artistas, produtores e agentes culturais inscreverem seus projetos para concorrerem ao Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2019. Lançado no dia 2 de agosto, o edital da Prefeitura de Manaus contemplará até 103 projetos artísticos e culturais, com um investimento total de R$ 3 milhões.

O edital na íntegra, assim como todos os formulários e requisitos exigidos, podem ser consultados aqui no site. Os proponentes poderão apresentar seus projetos de forma física, seguindo todas as orientações do edital, com entrega das propostas na sede da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), na Avenida André Araújo, 2767, Aleixo, até às 17h da quarta, 18/9.

Outra opção é a inscrição do projeto por meio digital: este ano, as inscrições online são facilitadas e podem ser feitas via formulário online, disponível na página do edital, e aberto até às 23h59 também do dia 18.

Serão selecionados projetos em cinco categorias: produção, formação, difusão, residências e intercâmbios, ocupação artística e/ou cultural em equipamentos culturais. Não há número limitado para inscrição dos projetos e cada proponente pode inscrever a quantidade que desejar, mas poderá ser contemplado com até dois projetos em categorias diferentes.

Os prêmios estão divididos em cinco módulos financeiros, de R$ 10 mil, R$ 30 mil, R$ 60 mil, R$ 75 mil e R$ 100 mil. Em caso de dúvidas, os interessados em se inscrever podem entrar em contato com os canais oficiais da Diretoria de Cultura da Manauscult, pelo telefone (92) 3215-2127 ou pelo email.

Oficinas e transmissão de tira-dúvidas

Para auxiliar os proponentes na elaboração de projetos culturais para os editais, duas oficinas de facilitação abertas ao público foram realizadas na última sexta, 13, no Vila Hub Coworking, e no sábado, 14/9, na Vila Vagalume.

Nas oficinas, o Diretor de Cultura da Manauscult, Márcio Braz, apresentou todos os itens do edital e sanou as dúvidas do público presente nos eventos, com explanações a respeito dos objetos do edital e definições das categorias, como Ocupação Artística e Cultural e Intercâmbio, por exemplo. Ambas as oficinas foram transmitidas ao vivo pelo Facebook da Manauscult, Viva Manaus, e estão disponíveis na página para quem quiser assistir.

Já nesta segunda, 16/9, os interessados também terão mais uma oportunidade de tirar dúvidas: das 16h às 17h, a página do Facebook da fundação realiza mais uma transmissão ao vivo, em que os proponentes podem enviar seus comentários com dúvidas e esclarecimentos, que serão respondidos na hora.

Amazonas diminui o número de queimadas identificadas na Amazônia Legal

0

Mais de 800 focos foram identificados no estado entre 1º e 9 de setembro.

Com os focos de queimadas identificados de 1º a 9 de setembro, o Amazonas passou a ocupar a sétima posição no ranking de estados que compõem a Amazônia Legal. No período, foram registrados 820 casos, o que representa uma diminuição de 73,38% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo um comunicado do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) divulgado nesta terça-feira (10).

O Amazonas estava em terceiro lugar no ranking em agosto – mês que obteve o maior número de casos já registrados desde o início dos levantamentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998. Entre os dias 1º e 9 de setembro deste ano, o estado de Mato Grosso lidera o ranking. Roraima está em último lugar.

Focos de queimadas registrados na Amazônia Legal entre 1º e 9 de setembro

Entre janeiro e os cinco primeiros dias de setembro, Amazonas registrou mais de 8,8 mil focos. O número já correspondia a 77,6% do número total de casos identificados em todo o ano de 2018 – que acumulou 11.446 focos.

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) informou que o mês de setembro costuma registrar aumento de queimadas em toda a região amazônica devido à intensificação da estiagem.

“A Sema e os demais órgãos estaduais e federais intensificaram as ações de combate aos focos de calor neste período (…) Estamos ampliando as atividades de educação ambiental nas áreas críticas, com estratégias para reduzir os danos à floresta”, disse o secretário Eduardo Taveira, por meio de nota.

Região Sul

Dos dez municípios do Amazonas com mais casos, oito estão no Sul do Estado. A região é o alvo das operações Curuquetê e Verde Brasil, do Governo do Amazonas e Governo Federal, por meio do Exército Brasileiro – que enviou mais de 1,3 mil homens para cinco estado da Região Norte. No Amazonas, eles devem permanecer por, no mínimo, 60 dias.

O Sul do estado, assim como a Região Metropolitana de Manaus, estão em situação de emergência desde o início do mês de agosto.

Regularização

O Ipaam informou nesta terça-feira (10) que realiza um mutirão no município de Apuí para regularização de processos expedidos em 2018. Serviços como licenciamento de atividades referentes à agricultura familiar, criação de animais de grande porte, pedidos de outorga pelo uso de recursos hídricos, entre outros são disponibilizados pelo órgão.

A renovação das licenças e expedição dos serviços de regularização para a população ocorrerá até a sexta-feira (13) no Centro Multifuncional da Sema e Ipaam no município.

Multas

Na quinta-feira (5), empreendimentos em Apuí e Humaitá foram multados em R$ 1,7 milhão durante uma operação de combate às queimadas e desmatamento ilegal no Sul do Amazonas. Um dos locais é uma serraria, que foi embargada no dia 4 e que já havia sido multada em R$ 2,6 milhões.

No dia 23 de agosto, o proprietário de um sítio foi multado em R$ 4 milhões por desmatar ilegalmente uma área de 27 hectares. O Ipaam passou a utilizar uma nova tecnologia, que já identificou responsáveis por desmatar 99.869,8 hectares no Sul do Estado e na Região Metropolitana de Manaus (RMM).

16ª Feira da FAS será sobre o Dia das Crianças

0

A 16ª Feira da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) terá uma edição especial do Dia das Crianças. O evento acontece neste domingo, 6/10, das 8h às 19h, na sede da instituição, localizada na rua Álvaro Braga, 351, Parque Dez de Novembro. O evento tem entrada gratuita.

A programação voltada para o público infantil inclui atividades lúdicas de educação ambiental desenvolvidas pelo projeto Pequenos Curupiras, música e contação de histórias com o artista Ítalo Almeida e a trupe Música e Magia, além de apresentação de dança e oficina de robótica, ambas promovidas pelo Centro Educacional Santa Teresinha.

Já os adultos poderão curtir os shows do cantor Miltinho, vocalista da banda Cabocrioulo, às 13h, e da Banda NTG, que apresenta o melhor do rock nacional e internacional a partir das 18h.

A feira ainda oferecerá atividades e serviços como aula de yoga, aula de ritmos, sessões de massoterapia chinesa (Tui Na), oficina de reparos rápidos em bicicletas, jogos variados, entre outros.

Nesta edição, mais de 100 expositores estarão presentes no evento, oferecendo itens de moda, decoração, artesanato, produtos naturais, plantas e artigos de jardinagem, além de gastronomia variada, incluindo opções veganas.

“A Feira da FAS deste domingo será o ponto de encontro das famílias que buscam lazer gratuito, além de opções criativas e sustentáveis para presentear no Dia das Crianças”, destaca a coordenadora do evento, Paula Gabriel.

Instituto Mamirauá realiza atividades contra a caça do peixe-boi-amazônico 

0

Com o objetivo de envolver a população na conservação da espécie, aulas e práticas aconteceram em comunidade da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, na Amazônia Central

A gestação do peixe-boi amazônico (Trichechus inunguis) pode durar 13 meses e a amamentação do filhote, dois anos. Isso significa que apenas depois de três anos do início de uma gestação, uma peixe-boi fêmea poderá ter outro filhote.

Esse é um dos fatores que tornam a caça de subsistência um risco à espécie, atualmente considerada vulnerável à extinção. Para conscientizar a população sobre a ameaça, no dia 27 de setembro pesquisadores do Instituto Mamirauá visitaram a comunidade Belo Monte, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, no estado do Amazonas, para realizar práticas de educação ambiental.

As atividades foram coordenadas pela pesquisadora Hilda Chávez, do Grupo de Pesquisa em Mamíferos Aquáticos Amazônicos do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

A proposta da visita foi apresentar informações sobre a espécie e envolver comunitários, em especial as crianças, em atividades lúdicas que alertassem sobre a importância da conservação do peixe-boi amazônico e o risco da caça.

Depois de uma conversa com as crianças da comunidade, uma gincana foi proposta, seguida por um teatro de fantoches onde a peixe-boi chamada de Fofa tem sua filhote, Pretinha, presa na malhadeira de um pescador. A história tem um final feliz quando o pescador decide libertar pretinha para que ela encontre sua mãe.

“Foi uma atividade muito importante e legal. As crianças gostaram muito das atividades e prestaram atenção. Muitas das crianças que participaram das práticas na parte da manhã também voltaram à tarde”, define Hilda.

A caça

O peixe-boi-amazônico é um dos cinco tipos de mamíferos aquáticos presentes na bacia amazônica, que também abriga os botos-cor-de-rosa, tucuxis, lontras e ariranhas. A espécie pode atingir três metros de comprimento e pesar 450 quilos.

Apesar de proibida desde 1967, a caça do peixe-boi amazônico é uma prática tradicional em áreas afastadas de centros urbanos da Amazônia. A carne é muito apreciada na região. Um estudo recente apontou que de janeiro de 2017 a abril de 2019 ocorreram pelo menos 95 eventos de caça à espécie nas reservas de desenvolvimento sustentável Mamirauá e Amanã, na região do Médio Solimões, na Amazônia Central.

O resultado foi obtido a partir de relatos de pescadores e agentes ambientais voluntários atuantes nas reservas. O número de animais mortos pode ser ainda maior, já que é provável que tenham ocorrido eventos de caça não declarados.

É comum que filhotes emalhados nas redes de pesca sejam utilizados para atrair a as fêmeas lactantes e quando os filhotes e fêmeas são retirados do ambiente, o ciclo reprodutivo da espécie é mais abalado e, consequentemente, o risco à espécie aumenta.

De acordo com Hilda, os relatos dos comunitários dos últimos dois anos podem indicar um crescimento populacional do peixe-boi-amazônico na área. “Em 2017 eles relatavam que era muito difícil encontrar, em 2018 já falavam que estava tendo mais peixe-boi e agora, em 2019, ainda mais”, diz.

A preocupação é que a maior quantidade de espécimes nos rios e lagos possam eventualmente implicar em um aumento da caça. “A sensibilização é muito importante e mostrar o conhecimento da biologia, ecologia e distribuição do peixe-boi e adicionar isso ao conhecimento tradicional que eles já tem. Juntos o conhecimento tradicional e científico fazem com que a conservação da espécie seja mais efetiva”, afirma a pesquisadora.

Suframa concederá lotes na 41ª Expoagro

0

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) está presente na 41ª Feira de Exposição Agropecuária (Expoagro), cuja programação iniciou ontem quinta-feira (3) e segue até domingo (6), no estacionamento da Universidade Nilton Lins.

O estande da Autarquia tem o objetivo, sobretudo, de divulgar a nova regulamentação para a ocupação de lotes no Distrito Agropecuário da Suframa (DAS), que serão cedidos mediante a Concessão de Direito Real de Uso (CDRU).

Também há a exposição de produtos produzidos no DAS e a divulgação da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM). A regulamentação que estabeleceu novas diretrizes para a concessão de lotes no DAS é a Resolução nº 71 do Conselho de Administração da Suframa, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 20 de agosto de 2019.

O coordenador-geral de Análise de Acompanhamento de Projetos Agropecuários da Suframa, Sidnei Magalhães, afirmou que a Autarquia possui lotes de 100 a 2.500 hectares, que serão disponibilizados a partir de processo de licitação.

Os interessados em concorrer aos lotes devem se cadastrar na Suframa, apresentar projeto técnico-econômico e capacidade econômico-financeira para a implantação de empreendimentos voltados à agricultura, pecuária, silvicultura, mineração, aquicultura, turismo ecológico, finalidades institucionais, extrativismo vegetal e atividades agroindustriais, entre outros.

O valor mínimo cobrado para a concessão dos lotes é de 10% da pauta de valores da terra nua estabelecidos pelo Incra, que é de R$ 61/ha em terras no município de Rio Preto da Eva e R$ 538,60/ha em lotes localizados em Manaus.

“Esperamos, com essa mudança na legislação, trazer novos empreendimentos relevantes ao desenvolvimento socioeconômico da região e também alinhados aos objetivos estratégicos da Suframa, que é potencializar esse importante vetor econômico para o Estado”, afirmou o coordenador.

A previsão é de que a Autarquia realize a primeira licitação no início de 2020 e, enquanto isso, está na fase de recebimento dos projetos. “Estaremos na Expoagro com nossa equipe técnica à disposição dos produtores e empreendedores para tirar dúvidas acerca da Resolução e de como apresentar o projeto à Suframa”, ressaltou Magalhães.

Durante a abertura da Expoagro, o governador do Amazonas, Wilson Lima, destacou o trabalho que vem sendo realizado pela Suframa ao fomentar diferentes vetores econômicos, entre eles o setor agropecuário. “

A Zona Franca de Manaus é insubstituível, mas nós precisamos também trabalhar em outras frentes e é o que estamos fazendo aqui”, afirmou. A última edição da Feira ocorreu em 2013. Este ano são aproximadamente 200 expositores com uma estimativa de movimentação financeira superior a R$ 30 milhões.

FesPIM

No estande da Expoagro, a Suframa também divulga a primeira edição da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM), realizada em parceria com o Instituto de Inteligência Socioambiental Estratégica da Amazônia (Piatam).

A fesPIM ocorrerá entre os dias 27 e 29 de novembro no Studio 5 Centro de Convenções, em Manaus, e tem o intuito de mostrar o potencial sustentável do PIM na geração de emprego e renda e os impactos positivos dessas atividades para a preservação da floresta e geração de tributos para o Brasil.

Serão 130 estandes distribuídos em uma estrutura feita com materiais reutilizados, bem como uma programação com palestras, fam trip voltada a potenciais investidores, com realização de visitas a fábricas do Polo, e press trip para jornalistas nacionais e internacionais.

 Feira de Sustentabilidade do PIM tem lançamento para empresários

0

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e o Instituto de Inteligência Socioambiental Estratégica da Amazônia (Piatam) realizaram ontem, segunda-feira (30), na sede da Suframa, a apresentação da primeira edição da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM) voltada aos empresários da região.

A fesPIM ocorrerá entre os dias 27 e 29 de novembro no Studio 5 Centro de Convenções, em Manaus, e tem o intuito de mostrar o potencial sustentável do PIM na geração de emprego e renda e os impactos positivos dessas atividades para a preservação da floresta e geração de tributos para o Brasil.

Serão 130 estandes distribuídos em uma estrutura feita com materiais reutilizados, bem como uma programação com palestras, fam trip voltada a potenciais investidores, com realização de visitas a fábricas do Polo, e press trip para jornalistas nacionais e internacionais.

Entre os palestrantes já confirmados estão o ex-presidente Sociedade norte americana de Economia Ecológica, James R. Kahn, o CEO e presidente da Biominas Brasil, Eduardo Emrich Soares, e o diretor de Desenvolvimento de Projetos na Brasil Potash Corp, Guilherme Jácome.

O evento contou com pronunciamentos do superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, do presidente do Instituto Piatam, dr. Alexandre Rivas, do presidente em exercício da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, do diretor-presidente do Hospital Samel, Luís Alberto Nicolau, do diretor-presidente da Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, do gerente de Relações Institucionais da Moto Honda, Helio Shimpei, do vice-presidente do Codese, Romero Reis, e do reitor da Universidade Federal do Amazonas, Sylvio Puga.

“A fesPIM tem como objetivo trazer uma visão onde seja possível identificar as conexões potenciais que existam entre a indústria e todo o conjunto de recursos que temos na região e que tanto precisam interagir para que possamos caminhar em direção a uma nova configuração econômica que prestigia e fortalece o Polo Industrial de Manaus”, afirmou o presidente do Instituto Piatam, Alexandre Rivas.

O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, destacou a importância de se discutir o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e apresentar as vantagens do Polo Industrial de Manaus na atual conjuntura.

“O momento que estamos passando é de retomada do crescimento, com vários desafios no campo econômico, político, social e ambiental. Nós amazônidas temos que dar soluções para os nossos problemas, porque somos nós que vivemos aqui e sabemos do tamanho dos desafios que encontramos e a concepção de feira vai ao encontro exatamente dessa proposta”, destacou, informando ainda que o presidente da República, Jair Bolsonaro, já demonstrou interesse em participar da fesPIM.

A fesPIM é uma realização da Suframa e Instituto Piatam e conta com patrocínio da Samsung, Amazonas Energia, Coca-Cola, Moto Honda, Samel, Sidia, Fieam, Cieam, Crea-AM, Prefeitura de Manaus e Governo do Amazonas.

 

 288ª Reunião do CAS destaca as contribuições ambientais da ZFM

0

Vinte e seis projetos industriais e de serviços, sendo cinco de implantação e 21 de diversificação, ampliação ou atualização, com previsão de geração de US$ 133.63 milhões em investimentos totais e de 864 novos empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM) nos três primeiros anos de operação, foram aprovados, ontem, quinta-feira (26), durante a 288ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Suframa (CAS).

Realizada no auditório da Autarquia, a reunião teve ainda como destaques debates sobre as contribuições do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) para a preservação da Amazônia, a importância da defesa das vantagens comparativas da ZFM nas discussões em torno da reforma tributária e a necessidade de fortalecimento da infraestrutura logística e de telecomunicações da região, como forma de possibilitar a manutenção de investimentos e ampliar a competitividade das empresas instaladas no PIM.

A solenidade foi presidida pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, e contou ainda com a participação do governador do Amazonas, Wilson Lima, do prefeito de Manaus, Arthur Neto, do vice-governador do Acre, Major Rocha, do superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, e de demais representantes de entidades de classe, dirigentes de órgãos públicos, parlamentares e empresários, entre outros.

Centro de sustentabilidade

O titular da Sepec, Carlos da Costa, afirmou que, neste momento em que as atenções mundiais estão voltadas para a Amazônia por conta da temática ambiental, a Zona Franca de Manaus tem uma grande oportunidade de buscar reconhecimento como maior projeto sustentável do planeta e de agregar valor estratégico em seus produtos.

“O momento da região é muito feliz, porque, já que todo mundo está nos olhando, vamos mostrar como somos belos e como temos um modelo que deveria ser seguido por outros países”, afirmou o secretário.

Ele também mencionou que o governo federal está construindo, junto ao Inmetro, uma espécie de “certificação de pegada carbônica”, visando a demonstrar os impactos ambientais positivos dos produtos brasileiros e, em especial, dos produtos fabricados na ZFM.

“A ideia é poder ter mecanismos de comparação e comprovação de que, se o desejo é mesmo pela preservação ambiental, os nossos produtos deveriam ser priorizados no mercado. Está na hora de dizermos: compre um celular, uma televisão, uma moto ou outro item fabricado na Amazônia e preserve ‘x’ árvores, porque eles foram feitos no maior projeto sustentável do mundo. Este é o momento de nos mostrar ao mundo com coragem porque somos exemplos” complementou.

Entre outros assuntos abordados pelo secretário, ele afirmou, ainda, que o Brasil está saindo da crise de maneira sustentável, com base em mudanças estruturais, esforços de simplificação e melhoria do ambiente de negócios, e voltou a comentar sobre a visão de futuro do governo federal para o desenvolvimento da região, que inclui não apenas o fortalecimento da dinâmica industrial do modelo ZFM, mas a efetiva implementação do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) com foco na geração de negócios e o sonho de transformar a região no maior polo de bioeconomia e economia sustentável do mundo.

“Não queremos substituir o que existe hoje, e sim ampliarmos o modelo naquilo que faça sentido para a região, naquilo em que possamos ser o melhor do mundo”, disse o titular da Sepec.

“Entre todas as possibilidades e cenários da reforma tributária, deixamos claro que o governo respeita e reconhece a importância da Zona Franca de Manaus e vamos preservar os incentivos de forma suficiente para que seja possível manter as empresas e atrair outras para cá. Vamos trabalhar juntos para ter marcos estáveis”, reforçou.

Crescimento

O superintendente Alfredo Menezes, além de agradecer publicamente o prefeito de Manaus, Arthur Neto, pelas obras de revitalização do Distrito Industrial que estão em andamento, destacou também os números do CAS neste ano que, em apenas duas reuniões, contabiliza 113 projetos de investimentos aprovados, estimando mais de cinco mil empregos diretos, US$ 800 milhões em investimentos totais e a injeção de faturamento da ordem de aproximadamente US$ 6 bilhões no PIM ao longo dos próximos três anos.

“Nesta reunião temos investimentos importantes em segmentos representativos do PIM, como o Polo de Duas Rodas, que está em um momento muito bom neste ano, e o polo componentista.

Os indicadores de desempenho do PIM mais recentes também mostram que ampliamos o faturamento em cerca de 11% no primeiro semestre e, além disso, os números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) indicam uma geração de empregos no Amazonas acima da média nacional. Todos esses dados mostram que estamos em um momento muito satisfatório de crescimento e de ações que retornarão em benefício da população”, afirmou.

Menezes também renovou o convite da Suframa para a 1a edição da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM), que será realizada no final de novembro, em Manaus, e destacou que a Autarquia foi convocada a integrar comitiva presidencial que visitará países como China e Japão na segunda quinzena de outubro.

Por fim, ele também informou que a Suframa está em negociações com a ApexBrasil para desenho de uma parceria estratégica que estreite laços entre a região e mercados estrangeiros e possa, de fato, impulsionar a captação de investimentos internacionais.

 

Ação no dia de Nossa Senhora Aparecida mobiliza fiéis pela Amazônia

0

Por Círios

A partir dos motes #AmazôniaCasaComum, #EuApoioOSínodo e #EuApoioOPapa, Movimento Católico Global pelo Clima (GCCM) e voluntários católicos realizam ação em Aparecida

No Dia de Nossa Senhora Aparecida, em que milhares de católicos fazem peregrinações, o Movimento Católico Global Pelo Clima realiza uma ação na cidade da padroeira do Brasil. A atividade reforça a narrativa de apoio ao Papa, ao Sínodo da Amazônia e à relação entre preservação e fé.

Durante todo o dia, haverá painéis e molduras para que fiéis deixem suas mensagens de apoio, tirem fotos e interajam, a partir de um óculos de realidade aumentada, com a história dos Awá Guajá.

Os participantes que publicarem foto com as hashtags da ação em suas redes sociais ainda receberão uma mudinha, uma alusão à árvore plantada pelo Papa Francisco no dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, abertura do Sínodo.

A ação dialoga com a pesquisa realizada pela Purpose e Ideia Big Data, em parceria com Instituto Clima e Sociedade (ICS) e GCCM, que revelou que 85% dos católicos acha que atacar a Amazônia é um pecado. Além das mensagens e interação com os materiais, os participantes poderão assinar petição dos Cristãos pela Proteção da Amazônia.

I Jornada de Economia do AM traz dicas de investimentos e economia comportamental

0

A I Jornada de Economia do Amazonas, evento acadêmico organizado pelos cursos de Ciências Econômicas das Universidades Federal e Estadual do Amazonas, Ufam e UEA, iniciou nesta segunda-feira, 07/10, com a palestra magna do professor Dr. Eduardo Borges, consultor matriz da Caixa Econômica Federal, sobre “Economia comportamental e as decisões de investimento”, no auditório Rio Amazonas da Faculdade de Estudos Social (FES)-UFAM.

Sob o tema “Como investir? Uma visão da economia comportamental”, o evento acontece até quinta-feira, 10/10 em Manaus, com uma série de palestras, oficinas e apresentação de trabalhos acadêmicos sobre o universo das finanças e suas diversas abordagens como decisões financeiras, preferências sociais, consumo irracional, poupança, escolha intertemporal e neuroeconomia.

A I Jornada de Economia do Amazonas conta com apoio do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM). A programação acontece em dois locais: auditório Rio Amazonas, na Ufam, e Auditório da Escola Superior de Ciências Sociais (ESO), na UEA, com atividades nos três turnos: matutino, vespertino e noturno.

O objetivo é promover o intercâmbio técnico-científico entre a comunidade acadêmica dos cursos de economia e afins, além de especialistas locais e nacionais convidados para as atividades. Na Ufam, as atividades integram a 8ª Semana do Curso de Economia. A programação completa está disponível no link.