Blog Page 2

Ibama detalha regras sobre exportação de produtos da floresta em evento na SUFRAMA

0

As normatizações e regras que regem o processo de exportação de produtos e subprodutos que contenham matéria-prima de origem florestal, incluindo espécimes em risco de extinção, foram alguns dos temas abordados no seminário “Exportação de Produtos da Floresta”. O evento, promovido pelo Comitê Gestor do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) do Estado do Amazonas, ocorreu ontem quarta-feira (15), no auditório da SUFRAMA.

A palestra foi ministrada pelo chefe da Divisão Técnico Ambiental do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) no Amazonas, Geandro Guerreiro Pantoja, que destacou as principais regras definidas pela legislação ambiental. Em especial, artigos mencionados na Lei nº 11.284 de 2 de março de 2006 e na Lei 4.771 de 15 de setembro de 1965, e as Instruções Normativas (IN) do Ibama como a nº 21 de 23 de dezembro de 2014 e a de nº 15 de 22 de dezembro 2011, além da Portaria do Ministério do Meio Ambiente (MMA) nº 443 de 17 de dezembro de 2014.

Pantoja abordou ainda a normatização descrita no âmbito do sistema Documento de Origem Florestal (DOF), bem como orientações para procedimentos. O DOF é a licença obrigatória para transporte e armazenamento de produtos florestais de espécies nativas do Brasil. Outro tópico destacado foi sobre o processo de solicitação e emissão de licenças do Ibama para a importação, exportação e reexportação de espécimes, produtos e subprodutos da fauna e flora silvestre brasileira, e da fauna e flora exótica, constantes ou não nos anexos da Convenção Internacional sobre o Comércio das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (Cites).

“De fato, esse tema do seminário contém muitas regras e recomendações e também dispõe de muitos documentos necessários. É assunto que daria para fazer um mestrado específico com alta carga horária. Mas, estamos à disposição dos interessados para esclarecer todas as dúvidas que tiverem”, frisou Pantoja.

O diretor do Ibama salientou ainda a implantação do Sistema Nacional de Controle da Origem e dos Produtos Florestais (Sinaflor), plataforma que controlará todo o processo da origem da madeira, do carvão e de outros produtos e subprodutos florestais, além de rastrear desde autorização de exploração até o transporte, armazenamento, industrialização e exportação. “É um sistema mais seguro e mais rigoroso. Já está sendo utilizado em fase de teste em Roraima e irá funcionar no Amazonas ainda nesse primeiro semestre”, informou.

A coordenadora geral de Comércio Exterior da SUFRAMA, Sandra Almeida, frisou que o seminário marcou a abertura do calendário de atividades públicas do PNCE, atualmente coordenado pela autarquia. “Promovemos seminários como esses, de acordo com a demanda dos interessados em exportar. A aquisição desses conhecimentos específicos é essencial para o sucesso no empreendimento de quem quer vender produtos oriundos da fauna e da flora da Amazônia para outros países”, observou.

Câmara dos Deputados homenageia 50 anos da SUFRAMA e da Zona Franca de Manaus

0

Os 50 anos da SUFRAMA e do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) foram tema de sessão solene promovida pela Câmara dos Deputados, em Brasília, na manhã desta terça-feira (14). A sessão, proposta pelos deputados federais representantes do Estado do Amazonas, Conceição Sampaio e Pauderney Avelino, contou com a participação da superintendente da autarquia, Rebecca Garcia, de outros parlamentares da Casa e de representantes de órgãos públicos e entidades de classe.

 

Em seu pronunciamento, a superintendente Rebecca Garcia agradeceu, inicialmente, a homenagem prestada à instituição e todo o apoio da bancada federal da Amazônia na defesa dos pleitos de interesse da SUFRAMA e do modelo ZFM. Ela destacou ainda que, apesar da rica história da Zona Franca de Manaus, com diversos desafios superados e conquistas registradas, o modelo deve ser repensado, de forma a avançar a partir da geração de conhecimento e de novas possibilidades de industrialização com uso de matérias-primas regionais. “A história da Zona Franca de Manaus se confunde com a história do desenvolvimento do Estado do Amazonas e da Amazônia Ocidental. Hoje temos um parque industrial consolidado, com mais de 85 mil empregos diretos, mas o importante é olhar para frente. Precisamos de produtos industrializados a partir da Zona Franca Verde, o que irá nos colocar em condições de competir mais fortemente nas próximas décadas”, disse a dirigente.

 

A deputada Conceição Sampaio afirmou que o Brasil precisa olhar igualmente para todas as suas regiões e reconheceu também o esforço de todas as pessoas que prestaram contribuições aos 50 anos da Zona Franca de Manaus. “A ZFM, mesmo com algumas dificuldades, demonstra sucesso e promove a integração produtiva e social do País, garantindo a soberania nacional. A Zona Franca é prova do desenvolvimento com preservação da floresta. Com futuro promissor e com a prorrogação, existe muito a ser feito. Precisamos aproximar a indústria do Interior, levando mais empregos para essas regiões”, disse, apontando ainda a resolução do impasse envolvendo a estrada BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), como um dos pontos críticos para o aprimoramento da gestão do modelo.

O deputado Pauderney Avelino reconheceu a importância da Zona Franca de Manaus para o desenvolvimento do Estado do Amazonas e disse que, passadas cinco décadas, muitos objetivos e benefícios foram atingidos a partir da atuação da SUFRAMA. “A ZFM abriga um dos principais parques industriais do País. Ela integra a região e seus benefícios chegam a todos, justificando sua prorrogação até 2073. O que precisamos agora é aprimorar a evolução do modelo tendo em vista as demandas da Amazônia”, disse Avelino. Ele destacou, em especial, os nomes de Paulo Pereira da Silva (responsável pela aprovação da base para o Decreto-Lei nº 288/1967) e de Bernado Cabral (promotor da constitucionalização da ZFM) como grandes personagens da história do modelo.

Por fim, o deputado Alfredo Nascimento, que atuou como superintendente da SUFRAMA entre março de 1991 e agosto de 1992,  destacou alguns desafios enfrentados pela ZFM como a diminuição de empregos e defendeu a autonomia administrativa da autarquia. “Há 25 anos eu era superintendente da autarquia e naquele tempo envidamos esforços para melhorar a infraestrutura de transporte do Polo Industrial de Manaus e promover as exportações, inclusive lutamos também pela interligação da BR-319. Sigo à disposição da ZFM para colaborar”, afirmou Nascimento.

‘Carreta da Mulher’ inicia atendimentos na SUFRAMA

0

Ontem, segunda-feira (13) teve início, na sede da SUFRAMA, as atividades da Unidade Móvel de Saúde da Mulher (“Carreta da Mulher”), resultantes da parceria entre a autarquia e a Prefeitura Municipal de Manaus que oferecerá, até o próximo dia 24 de março, exames preventivos, mamografias e ultrassonografias (abdominal total, abdominal superior, transvaginal, pélvica, obstétrica, vias urinárias, tireoide e mamas) à comunidade feminina do Distrito Industrial.

A solenidade de abertura dos atendimentos da unidade contou com a participação da superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, do superintendente adjunto Executivo, Carlito de Holanda, do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Marcelo Pereira, do secretário municipal da Mulher e Assistência Social e Direitos Humanos, Elias Emmanuel, que representou a Prefeitura, da subsecretária municipal de Políticas Afirmativas para as Mulheres, Socorro Sampaio, do vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fieam), Nelson Azevedo, e de representantes de outras secretarias municipais e do Sindicato dos Servidores da SUFRAMA (Sindframa).Mulher_03

Na ocasião, a superintendente Rebecca Garcia destacou a importância de se debater as diferenças vistas até hoje na sociedade entre homens e mulheres e disse que é preciso construir uma sociedade de iguais. “Não queremos que mulheres sejam melhores que homens, apenas que sejam tratadas da mesma forma”, disse. A superintendente da SUFRAMA ainda lembrou da violência sofrida pelas mulheres em todo o mundo e alertou que o combate constante é necessário. “Devemos aproveitar esse mês dedicado às homenagens às mulheres para discutir e debater sobre essa questão. Os números da violência contra as mulheres são maiores do que os divulgados, uma vez que nem todos os casos são oficializados”, afirmou.

Elias Emmanuel concordou com o discurso de Rebecca Garcia e comentou sobre recente pesquisa nacional que mostrou uma disparidade de 30% quando se comparam os salários de homens e mulheres. “Ainda hoje no Brasil vemos que as mulheres recebem menos que homens, ainda que exerçam os mesmos cargos. Eventos como estes realizados no mês dedicado às mulheres suscitam discussões e nos fazem lutar contra essa desigualdade”, pontuou.Mulher_01

Atendimentos

Os exames prestados nesta segunda-feira pela Carreta da Mulher foram direcionados exclusivamente a servidoras e colaboradoras da SUFRAMA. A partir desta terça-feira (14), serão iniciados os atendimentos ao público externo. Embora seja uma unidade voltada à saúde da mulher, também estará disponível para os homens a ultrassonografia de próstata via abdominal. As fichas de atendimento são limitadas e serão distribuídas diariamente a partir das 7h, por meio de fila única, obedecendo ordem de chegada.Mulher_02

Para os exames de ultrassonografia e de mamografia para pacientes abaixo dos 50 anos, será necessário apresentar requisição médica. Para a coleta de preventivo e mamografia para pacientes acima dos 50 anos, basta apresentar identidade, CPF e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

A capacidade diária de realização dos exames é de 50 ultrassonografias de modo geral, 40 mamografias e 15 preventivos.

PNCE promove seminário gratuito sobre exportação de produtos da floresta

0

As exigências e procedimentos necessários para a exportação de produtos que contenham matéria-prima de origem florestal – em especial madeiras e seus resíduos, palmitos e xaxim – serão abordados no seminário “Exportação de Produtos da Floresta”. O evento, promovido pelo Comitê Gestor do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) no Estado do Amazonas, ocorrerá no próximo dia 15 de março, a partir das 9h, no auditório da SUFRAMA, e será ministrado por técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos endereços letrônicos pnce.capacitacao@suframa.gov.br ou pnce.suplente@suframa.gov.br. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones: 3321-7256/3321-7274.

A coordenadora geral de Comércio Exterior da SUFRAMA, Sandra Almeida, destaca que o evento será o momento ideal para os interessados dirimirem dúvidas sobre as regras e procedimentos no processo de exportação de produtos oriundos da fauna e da flora da Amazônia. “Será uma ocasião muito oportuna também para que essas empresas recebam orientações gerais que poderão facilitar a venda desses produtos em outros países”, detalhou.

PNCE no Amazonas

Constituído em janeiro de 2016, o Comitê Gestor do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) no Estado do Amazonas é coordenado atualmente pela SUFRAMA e conta com a participação de outras 14 instituições de âmbito estadual e federal. Em pouco mais de um ano desde sua implantação, o Comitê desempenhou uma série de atividades que visaram, fundamentalmente, à disseminação da cultura exportadora na região, com destaque, sobretudo, para a realização de cursos e capacitações técnicas, projetos de sensibilização e ações de atendimento e consultoria, que já possibilitaram benefícios diretos para mais de 70 empresas, em especial aquelas que comercializam produtos com matérias-primas amazônicas.

Lançamento de Livro em Lisboa

0

Lançamento de Livro em Lisboa

Anete Costa Ferreira, correspondente da Revista Pará+, em Portugal, convida nossos Amigos e leitores, para o lançamento do seu livro em homenagem aos 400 anos de Belém

Desejando a todos, uma FELIZ PÁSCOA com SAÚDE e PAZ.

SUFRAMA participa de audiência pública sobre a MP 757/2016

0

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, e a coordenadora geral de Estudos Econômicos e Empresariais, Ana Souza, participaram, ontem, quinta-feira (06), de audiência pública promovida pelo Senado Federal, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), com a finalidade de discutir a autarquia como fator de desenvolvimento regional e a Medida Provisória (MP) 757/2016, que instituiu a Taxa de Controle de Incentivos Fiscais (TCIF) e a Taxa de Servicos (TS).

A audiência foi solicitada pela Comissão Mista do Senado destinada a examinar a MP 757/2016, que tem como relatora a senadora Vanessa Grazziotin (AM). Também participaram da audiência representantes das Comissões de Serviços de Infraestrutura (CI) e de Desenvolvimento Regional (CDR) do Senado Federal, bem como o deputado federal por Roraima, Remídio Monai, membro da Comissão Mista, e deputados estaduais e representantes do Governo do Amazonas, da indústria, do comércio e da agropecuária, entre outros interessados.

Por conta da MP 757/2016, a cobrança da TCIF e da TS passou a vigorar no dia 20 de março. As taxas são voltadas para o controle de incentivos fiscais no ingresso de mercadorias estrangeiras e nacionais na área de jurisdição da SUFRAMA, no caso da TCIF, e também para a prestação de serviços oferecidos pela autarquia, tais como cadastro, atualização cadastral, armazenagem e movimentação de cargas, no caso da TS. De acordo com a senadora Vanessa Grazziotin, a Comissão Mista busca, neste momento, debater os itens da MP com todos os entes interessados, visando a adequações para a construção do texto do Projeto de Lei de Conversão que será apresentado para votação no Congresso Nacional.

A superintendente Rebecca Garcia afirmou que o debate é fundamental para que se chegue a uma taxa que possa viabilizar tanto o custeio da autarquia quanto a possibilidade do desenvolvimento e fortalecimento do modelo econômico da Zona Franca de Manaus. “A Medida Provisória nos dá esse prazo de experiência para que possamos achar o texto de interseção e descobrir o que vai atender as necessidades tanto do governo federal quanto do comércio, da indústria e do setor agropecuário, tendo sempre em mente que estamos vivendo um momento diferenciado, onde a economia está em processo de recuperação”, disse.

Segundo Rebecca, a proposta também é construir um texto que vincule a destinação majoritária dos recursos arrecadados a projetos de interesse do desenvolvimento da região. “Nós percebemos que essa taxa não é vista de maneira negativa pelo empresariado. A cobrança é justa, desde que volte para a nossa região e seja investida em infraestrutura, cada vez mais diminuindo os custos amazônicos. É isso que queremos trabalhar também nessa taxa”, explicou.Audiência 2

A senadora Vanessa Grazziotin observou que a MP era necessária, visto que a Taxa de Serviços Administrativos (TSA), método anterior de arrecadação da SUFRAMA, enfrentou questionamentos jurídicos de inconstitucionalidade, o que diminuiu consideravelmente a arrecadação da autarquia recentemente. “Vamos apresentar um Projeto de Lei de Conversão para atender não apenas os pleitos, mas manter o objetivo da Medida Provisória que é desburocratizar, não ampliar os tributos e trazer a segurança jurídica que o Estado e setor privado precisam”, afirmou a senadora. “A MP trata da regulamentação da arrecadação, mas nessa mesma Medida vamos querer falar sobre a destinação dos recursos. A SUFRAMA não é apenas uma administradora de incentivos fiscais, mas também é promotora do desenvolvimento regional e para isso tem que dispor dos recursos que ela mesmo arrecada, como já aconteceu no passado”, complementou.

A audiência pública contou com a manifestação de diversos deputados estaduais e também de representantes de entidades de classe e do governo do Amazonas. O principal ponto debatido foi a necessidade de se chegar a uma proposta que não onere ainda mais o empresariado.

A coordenadora da SUFRAMA, Ana Souza, afirmou que a equipe da autarquia já levantou mais de 20 cenários possíveis depois que a Medida Provisória foi publicada e fez as propostas mais equilibradas por meio da sua Procuradoria. “Esses cenários também foram repassados à senadora. É importante dizer que a MP foi tratada inicialmente em caráter de urgência e de forma bastante reservada pelo governo federal. O que queremos é um pagamento justo e necessário, e que retorne para a região em forma de investimento”, afirmou.

 

SUFRAMA reativa posto de atendimento em Rio Preto da Eva

0

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) reinaugurou nesta sexta-feira (31), em Rio Preto da Eva (AM), o seu escritório de representação no município (distante 78 quilômetros de Manaus). A cerimônia ocorreu no prédio localizado na rua Governador Pimenta Bueno, Centro, e contou com a participação da superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, do vice governador do Amazonas, Henrique Oliveira, do prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Sousa, de parlamantares estaduais e federais e de técnicos e dirigentes da autarquia e de outros órgãos governamentais. A reabertura do escritório da SUFRAMA foi uma das ações incluídas na programação de inaugurações de obras em comemoração ao aniversário de 35 anos de Rio Preto da Eva, iniciada nesta sexta-feira e que se estenderá até domingo (2).

A partir da próxima semana, técnicos da Coordenação Geral de Análise e Acompanhamento de Projetos Agropecuários da autarquia estarão realizando atendimentos presenciais no escritório, por meio de revezamento, com vistas, principalmente, a sanar dúvidas de produtores rurais e agricultores familiares sobre o funcionamento do Distrito Agropecuário da SUFRAMA (DAS) e facilitar o acesso dos mesmos a documentos e trâmites burocráticos. De acordo com a superintendente Rebecca Garcia, espera-se, assim, aprimorar o atendimento prestado pela instituição ao público que depende diariamente dos seus serviços e, também, reduzir custos para os produtores, uma vez que antes eles tinham que se deslocar até Manaus para solucionar seus problemas.

“Quase sessenta e cinco por cento da área do município de Rio Preto da Eva integra o Distrito Agropecuário da SUFRAMA, então nada mais justo do que a autarquia se fazer aqui presente para atender os produtores que estão nessas áreas e no entorno. Esta reinauguração é muito importante, pois marca um novo momento de atenção e de fortalecimento do Distrito Agropecuário”, afirmou a superintendente. “Isso mostra que a SUFRAMA está tratando o segmento agropecuário com muita importância, pois sabemos que este é um pilar estratégico da história da Zona Franca de Manaus, e também do futuro, pois gera muitos empregos e é decisivo também para a produção de alimentos para Manaus e outras cidades. Esperamos que este seja mais um passo na direção certa do crescimento e do fortalecimento do DAS”, complementou.

O imóvel, que foi reformado em parceria com a Prefeitura Municipal, pertence à SUFRAMA e estava sem atendimento da autarquia há mais de 20 anos. Desde 2008, a Prefeitura utilizava o imóvel por meio de cessão de uso. Além da autarquia, o escritório contará também com atendimento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária.

Feira da Piscicultura

Além da cerimônia de reinauguração do seu posto de atendimento em Rio Preto da Eva, a SUFRAMA também se faz presente no município, neste final de semana, para participar, com estande institucional, da I Feira de Piscicultura, promovida em comemoração aos 35 anos de emancipação política da cidade. Até domingo, técnicos da Coordenação Geral de Análise e Acompanhamento de Projetos Agropecuários estarão prestando explicações sobre o modelo Zona Franca de Manaus e, mais especificamente, sobre o Distrito Agropecuário da SUFRAMA. De acordo com informações dos organizadores, espera-se um público de 150 mil pessoas durantes os três dias de evento.

Cinetalk da Ciência’ reúne empreendedores no Impact Hub Manaus

0

No dia 28 de março acontecerá o primeiro encontro da série “O que a floresta nos ensina? – Cinetalk da Ciência”, que tem a missão de aproximar a comunidade acadêmica dos inovadores sociais e popularizar a ciência.

A proposta vai unir cinema e ciência, com exibição de vídeos, seguida de roda de conversa sobre o tema. E, para deixar o clima mais descontraído, o encontro funcionará como uma happy hour, a partir das 18h, com chope artesanal e boa música. A entrada custará R$ 15.

Na ocasião haverá o lançamento da Ibieté Sóciobiodiversidade, marca que produz camisetas com estampas elaboradas junto com pesquisadores de espécies da fauna, flora e conhecimentos tradicionais e que investe 10% dos lucros a um fundo destinado para o financiamento de projetos de pesquisa e conservação da AmazôniaCamiseta Ibieté

A roda de conversa começará às 19h30. Na estreia, o tema será “Como vender ciência?”, com Mariana Sena, da Sustental Projetos, que vai apresentar diferentes maneiras de levantar fundos para pesquisa.

Também será exibido o trailer da série de TV “The world wildest city”, sobre o trabalho de alguns dos grandes pesquisadores da Amazônia. Produzida pela Banksia Films (Brasil) e Off the Fence (Inglaterra), a série já foi veiculada na Nat Geo e tem 13 episódios que serão exibidos ao longo das edições do Cinetalk.

A programação musical e cultural ficará por conta do DJ Jander Manauara, com participação da Família Lado Bom. A Manaus Brew Shop levará o chope artesanal estilo IPA (Indian Pale Ale) e comidinhas especiais que serão vendidos a preços acessíveis entre R$4 e R$12.  No cardápio tem sanduíche de costela no pão malte, empadas de pirarucu com banana, mousse de cupuaçu e mousse de taperebá.

O Cinetalk “O que a ciência nos ensina?” é organizado pela Ibieté Sóciobiodiversidade, Banksia Films, Sustental Projetos, Adriana Damasceno Traduções e Impact Hub Manaus.

SERVIÇO

O QUE É: “O que a floresta nos ensina? – Cinetalk da Ciência”

ONDE: Impact Hub Manaus (Avenida Efigênio Sales, 1299 – Aleixo)

QUANDO: 28 de março, a partir das 18h

QUANTO: R$ 15

INFORMAÇÕES: 99135-2889

SUFRAMA retomará escritório em Rio Preto da Eva

0

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, recebeu do prefeito de Rio Preto da Eva (AM), Anderson Sousa, as chaves do prédio onde será retomado o escritório da autarquia no município. A entrega ocorreu nesta segunda-feira (27), no prédio localizado na rua Governador Pimenta Bueno, Centro de Rio Preto da Eva.

Participaram também da entrega o superintendente adjunto de Projetos, em exercício, José Lopo Filho, o superintendente adjunto executivo, substituto, Carlito Sobrinho, o coordenador geral de Análise e Acompanhamento de Projetos Agropecuários, Orisvaldo Neves, e técnicos da autarquia e da prefeitura de Rio Preto da Eva.

O imóvel pertence à SUFRAMA e estava sem atendimento da autarquia há mais de 20 anos. Desde 2008, a Prefeitura de Rio Preto da Eva utilizava o imóvel por meio de cessão de uso. “Sessenta e três por cento da área do município compõe o Distrito Agropecuário da SUFRAMA e precisávamos da autarquia aqui presente para atender os proprietários dessas áreas. Reformamos o prédio dentro das nossas condições e estamos devolvendo as chaves à SUFRAMA”, afirmou o prefeito.

A superintendente afirmou que a devolução do imóvel será muito importante para o atendimento dos produtores rurais que diariamente procuram a autarquia em Manaus. “Penso que reiniciamos um novo momento da SUFRAMA no Distrito Agropecuário. Temos agora mais condições de dar um melhor atendimento àqueles que nos procuram e também de explicar muito do que não é entendido em relação às terras da União”, disse.

Além da SUFRAMA, o prédio contará também com atendimento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). “Acredito que com todos esses entes e essa aliança de serviços que estamos dispostos a ofertar ao produtor rural teremos condições verdadeiras de fortalecer esse cinturão verde que representa o Distrito Agropecuário”, complementou Rebecca, afirmando ainda que, durante esta semana, a SUFRAMA fará o traslado dos móveis e a pintura da fachada do prédio. “Deslocaremos dois técnicos da autarquia e faremos também a alternância de coordenadores na unidade. A previsão é de iniciar os atendimentos na primeira semana de abril”, reforçou.

Manaus será a 3ª capital do País a receber ação do SENAR em parceria com o SENAR-AM que mostra o campo em realidade aumentada

0

Manaus será a 3ªcapital do País a receber ação inédita que mostra o campo com tecnologia de realidade aumentada e marca o início das comemorações dos 25 anos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).

Quem passar pelo Manauara Shopping, na Av. Mario Ypiranga (antiga Av. Paraíba) entre os dias 6 e 12 de junho, terá uma boa surpresa ainda no hall de entrada. Uma estrutura com tela e tecnologia de realidade aumentada permitirá ao público presente interagir virtualmente com animais do campo e plantações.ação realida aumentada - Brasília2

A inovação permite que o mundo real e o virtual se encontrem através da projeção de figuras em um cenário filmado, o que visto de forma simultânea, em uma grande tela, passa a sensação de acontecer no momento presente. Ou seja, o público enxerga na tela animais e plantas ligados à produção rural e ao setor primário e pode interagir, com as figuras por meio da tecnologia.

A iniciativa, que já fez sucesso em outras capitais, especialmente entre as crianças, busca aproximar as pessoas dos grandes centros urbanos da realidade do campo e do trabalho desempenhado pelo SENAR e pela regional da entidade no Amazonas (SENAR-AM), que é de promover cursos de formação profissional e ações de promoção social ao meio rural, gratuitamente, há 25 anos.

O SENAR-AM

Para a Administração Regional do SENAR, no Amazonas, o evento contribuirá no sentido de divulgar o trabalho realizado pela entidade no Estado. A administração regional oferece 35 cursos de Formação Profissional Rural (FPR) e Promoção Social (PS) em 9 linhas de atuação: agricultura, aquicultura, atividades de apoio agro-silvo-pastoril, extrativismo, pecuária, alimentação e nutrição, artesanato e educação para organização comunitária.

Uma janela para o futuro do Brasil

Com o slogan “Uma janela para o futuro do Brasil”, o SENAR preparou uma campanha publicitária especial para marcar a data. Nas peças que serão veiculadas ao longo deste ano e em todas as mídias sociais será reforçada a missão que a entidade desempenha na agropecuária brasileira: disseminar conhecimento, tecnologia e inovação no campo.

Além dos eventos de realidade aumentada nos shoppings das capitais, estão previstas ações promocionais em algumas das principais feiras agropecuárias do Brasil, revista especial e um livro com histórias de brasileiros que tiveram as vidas transformadas pelo SENAR.

SERVIÇO

O que: Campanha “Uma Janela para o futuro do Brasil” – Ação de realidade aumentada em comemoração aos 25 anos do SENAR

Quando: de 06 a 11 de junho

Onde: Manauara Shopping, Manaus-AM

Horário: de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 14h às 20h