Pais e mães participam da quinta edição da Oficina de Parentalidade da Defensoria Pública buscando melhorar a convivência familiar após separação

46

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

Objetivo é orientar famílias a evitar conflitos em situação de separação para reduzir desgastes para os filhos

Maria (nome fictício) quer orientações sobre como lidar com os efeitos da ausência do pai de seu filho sobre a criança. João (nome fictício) busca ter um processo de separação mais tranquilo com sua ex-mulher. Os dois estão entre os cerca de 30 participantes da quinta edição da Oficina de Parentalidade promovida pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), realizada nesta sexta-feira (23/2).

O projeto, que vem sendo realizado desde o ano passado, tem o objetivo de sensibilizar mães e pais de que a boa relação familiar deve ser permanente porque é essencial para o crescimento afetivo dos filhos e destacar que a convivência familiar não termina com uma separação do casal. A orientação às famílias é também uma forma de incentivar a conciliação.

Maria disse que esta é a primeira vez que participa da oficina. Segundo ela, o filho fica muito triste com a ausência do pai, que não o procura, e ela gostaria de receber orientações sobre como lidar com a questão. “Eu vejo que, às vezes, ele fica muito abalado e faz muitas perguntas sobre o porquê de o pai não procurá-lo. Não sei bem o que responder”, disse.

Para João, a informação sobre a oficina veio por meio da ex-mulher, que já participou. “A gente estava brigando muito. Mas andamos conversando e a gente não quer sair de uma confusão para cair numa outra. Existe ex-marido, ex-mulher, mas não existe ex-filho. Então, eu vim aqui para aprender alguma coisa, porque eu quero uma separação mais tranquila”, afirmou.

As oficinas são ministradas pelos defensores públicos Helom Nunes e Karoline Santos, que passaram por uma capacitação no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). A coordenação do projeto é da defensora pública Heloísa Canto. Em um formato de bate-papo, os participantes recebem questões práticas e esclarecimentos sobre Direito de Família, além de poderem tirar suas dúvidas.

A defensora pública Karoline Santos afirma que já é possível ver resultados positivos das oficinas porque há participantes que relatam terem melhorado a relação com seus ex-companheiros e a convivência com seus filhos, deixando, por exemplo, de expressar críticas ou rancor relacionados à ex-mulher ou ex-marido, diante das crianças.

As oficinas vêm sendo realizadas das 9h às 12h, no auditório da Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (Esudpam), que fica na Rua 24 de Maio, 321, Centro, sempre na última sexta-feira do mês.

Os interessados que quiserem garantir participação podem ligar para o telefone da 1ª Defensoria Pública de Família – (92) 3233-1007. Não é obrigatório que os dois membros do casal participem. Caso um dos dois não esteja interessado, o outro pode participar sem impedimentos.

Até agora, mais de 110 pessoas já participaram da Oficina de Parentalidade da DPE-AM. E o número de participantes vem crescendo a cada edição.

Retirado de

Powered by WPeMatico

Compartilhar