Polícia Civil prende rapaz pela autoria de homicídio de comerciante, com quem mantinha um relacionamento amoroso

23

FOTO: ERLON RODRIGUES
FOTO: ERLON RODRIGUES

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Jeff David Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou na manhã desta quarta-feira (16/5), às 11h, durante coletiva de imprensa realizada no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado, em nome de Rafael Leão Borges, 26, pela autoria da morte do comerciante Adalberto Tavares da Silva, com quem ele mantinha um relacionamento amoroso. O crime aconteceu no dia 16 de dezembro de 2017. A vítima tinha 49 anos.

De acordo com a autoridade policial, Rafael foi preso pelas equipes da DEHS na manhã de terça-feira (15/5), por volta das 6h, no momento em que estava dormindo em uma casa situada na rua do Fuxico, bairro Tancredo Neves, zona leste de Manaus. O mandado de prisão em nome do infrator foi expedido no dia 22 de dezembro de 2017, pela juíza Áurea Lina Gomes Araújo, no Plantão Criminal.

Mac Donald explicou que o homicídio ocorreu na casa onde a vítima morava, situada na rua Francisca Mendes, Comunidade Gustavo Nascimento, bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus. O corpo do comerciante foi encontrado no dia seguinte à ação criminosa, por vizinhos que acionaram policiais militares para atenderem a ocorrência.

“Adalberto era homossexual e mantinha um relacionamento amoroso com Rafael, que trabalhava no frigorifico de propriedade da vítima. No dia do crime os vizinhos do comerciante ouviram gritos e pedidos de socorro, vindos da casa da vítima. No local foram recebidos por Rafael, que os tranquilizou, argumentando que se tratava de uma discursão de família. Horas depois, o carro da vítima, da montadora Volkswagen, modelo Gol, foi levado do imóvel e recuperado por familiares da vítima dias depois, abandonado em via pública, no bairro São José Operário, zona leste”, explicou o titular da DEHS.

 No momento da coletiva de imprensa, o delegado ressaltou que Rafael utilizou um instrumento perfurocortante para matar Adalberto. O infrator, porém, nega que tenha cometido o crime. Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), foi verificado que Rafael já tinha passagem pela polícia por adulteração de sinal identificador de veículo automotor e uso de documento falso, em 2016.

Indiciamento – No prédio da DEHS, Rafael foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por traição e emboscada. O infrator será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro oito da rodovia federal BR-174, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Comoção – Durante a coletiva, familiares da vítima compareceram ao prédio da especializada para agradecer o empenho da equipe de investigação da DEHS na elucidação do caso. O filho da vítima, Adalberto Tavares da Silva Junior, 27, relatou que o infrator era tratado como membro da família.

“Ele estava conosco todos os dias. Confiávamos nele e, de repente, acontece uma barbaridade dessas. Agradecemos muito o tratamento dispensado pela equipe da Polícia Civil, que estava sempre entrando em contato conosco e nos mantendo informados sobre o andamento das investigações”, declarou o filho da vítima, visivelmente emocionado.

Retirado de www.amazonas.am.gov.br

Compartilhar