Policiamento em Manaus foi reforçado, destaca secretário de Segurança Pública

28

FOTO: DIVULGAÇÃO/SSP-AM
FOTO: DIVULGAÇÃO/SSP-AM

O secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel da Polícia Militar do Amazonas, Anézio Paiva, afirmou que o policiamento em Manaus foi reforçado após a fuga de 35 detentos do Centro de Detenção Provisória 2, no último sábado (12/05). Com barreiras fixas e móveis por toda a cidade, uso de helicóptero e troca de informações com outros Estados, entre outras ações, todo o sistema de segurança está trabalhando para recapturar os fugitivos.

O secretário da SSP do Amazonas tem mantido comunicação direta com secretários de segurança da Região Norte e também da Região Sudeste. “O sistema de segurança está sendo testado e vamos dar um combate a contento. Nossas equipes estão em campo através do Denarc, Fera, Rocam, Força Tática, das Secretarias de Operações e de Inteligência para capturar esse pessoal”, afirmou Paiva. “A Polícia Militar, a Polícia Civil e todas as especializadas estão com seu efetivo máximo”, disse.

O inquérito sobre o caso será conduzido pela Polícia Civil do Amazonas, através do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). “O Delegado Geral determinou desde o momento da fuga, que o departamento iniciasse o trabalho de investigação e localização dos criminosos. A maioria dos fugitivos são conhecidos do Departamento por investigação em participação em organização criminosa. Por esse motivo, as equipes já estão em campo procedendo as buscas. Um inquérito policial foi instaurado para apurar a responsabilidade criminal pela fuga”, relatou o diretor do DRCO, delegado Guilherme Torres.

De acordo com o secretário, os serviços de inteligência da Polícia Militar, Polícia Civil, além das Polícias Federal e Rodoviária Federal estão atuando em conjunto no trabalho de captura dos detentos foragidos.

Sobre a denúncia de que a direção do CDP2 já sabia da fuga dos presos, o coronel Anézio Paiva afirmou que todas as informações, seja de vídeos ou de áudios, foram repassadas para o serviço de inteligência. “Estamos apurando tudo. Para o que está sendo detectado, está se abrindo um procedimento. Conforme já afirmado pelo coronel Cleitman (Coelho), secretário de Administração Penitenciária, a direção do presídio já foi afastada e está sendo aberto o procedimento disciplinar”, disse. O objetivo do afastamento, explicou o secretário, é para não atrapalhar as investigações.

Retirado de www.amazonas.am.gov.br

Compartilhar