Senado aprova MP que reduz aumento de royalties da mineração

75

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (22) uma medida provisória que estabelece em 3,5% a alíquota do CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) para o minério de ferro. O texto, que foi aprovado na noite de terça na Câmara, vai agora à sanção presidencial.

A versão original da MP 789, de julho, estabelecia uma alíquota flutuante para os royalties de 2% a 4%, com base no preço do minério de ferro no mercado internacional -quanto maior a cotação, maior seria a taxa.

A comissão do Congresso que analisou o assunto, entretanto, mudou a tabela da CFEM e aprovou a cobrança de um percentual fixo de 4%. Antes da edição da medida provisória, as empresas pagavam 2% sobre a receita líquida de exploração do ferro.

+ Meirelles: aposentadoria só será integral com 40 anos de contribuição

Se não fosse aprovada pelo Senado até a próxima terça-feira (28), a MP perderia a validade. Estima-se que o aumento da alíquota de 2% para 3,5% vai gerar uma arrecadação extra de mais de R$ 1 bilhão para a União, Estados e municípios.

Pelo texto da MP, as mineradoras de ouro passarão a pagar 1,5% em vez de 2%. Emenda do PT estabeleceu que Potássio e outras substâncias usadas na fabricação de fertilizantes terão alíquota reduzida para 0,2%. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Notícias ao Minuto Brasil – Economia

Compartilhar