Serviço de Apoio Emergencial à Mulher já acolheu 105 vítimas em um mês de funcionamento na DECCM-Anexo

185

FOTO: ROBSON ADRIANO/PC-AM
FOTO: ROBSON ADRIANO/PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher – Anexo (DECCM-Anexo), em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), deu início no dia 10 de janeiro deste ano, no prédio da unidade policial, ao Serviço de Apoio Emergencial à Mulher (Sapem). Em pouco mais de um mês de atividades, 105 pessoas, acometidas por violência doméstica e familiar, foram acolhidas pela iniciativa, que tem por objetivo resguardar a integridade física e moral das vítimas.

De acordo com a delegada Andrea Nascimento, titular da DECCM-Anexo, as mulheres que têm ido à delegacia denunciar os agressores têm sido assistidas desde os procedimentos iniciais, como registro do Boletim de Ocorrência (BO), até os trâmites judiciais, além de receberem acompanhamento psicológico, bem como encaminhamento para serviços assistenciais.

 “Temos observado que essas vítimas se sentem mais seguras a partir desse acompanhamento. Elas se sentem extremamente acolhidas. O atendimento sai da esfera criminal e, ali mesmo, no prédio da delegacia, elas são atendidas, ouvidas por uma profissional que saberá identificar todas as reais necessidades delas e das famílias”, declarou Nascimento.

Conforme a autoridade policial, o serviço foi efetivado na delegacia e os resultados são satisfatórios, mesmo que algumas circunstâncias sejam bastante complexas. “Há um alto índice de incidência de violência doméstica nessa região da cidade, onde está posicionada a DECCM-Anexo, no bairro Cidade de Deus, zona Norte. Quando a unidade policial foi inaugurada, em outubro de 2014, descobrimos que muitas vítimas deixavam de formalizar as ocorrências porque não tinham como se deslocar até o bairro Parque Dez, na zona centro-sul, onde fica a DECCM principal”, relatou.

Serviço – O Sapem conta com uma psicóloga e uma assistente social que realizam os encaminhamentos para as vítimas. No prédio da DECCM-Anexo, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Para melhores informações, dúvidas podem ser esclarecidas pelo número de telefone (92) 3582-1610.

À espera do quarto filho, uma dona de casa de 31 anos, grávida de oito meses, elogiou o Sapem. Ela procurou a unidade policial para denunciar o ex-companheiro. “Antes eram só discussões, mas então ele me agrediu, criei coragem e vim formalizar a ocorrência. Depois de fazer os exames, eu voltei para o acompanhamento com os profissionais. É muito bom saber que você está sendo ouvida e que será ajudada. Todos foram muito atenciosos comigo. Agradeço o cuidado que me foi dispensado”, argumentou.

Estatísticas – Das 105 mulheres atendidas nesse primeiro mês de Sapem na DECCM-Anexo, cerca de 45% das mulheres estão na faixa etária de 30 a 45 anos, ou seja, mulheres adultas, porém, em relacionamentos abusivos, com mais de 10 anos, temos relatos de violência continuada.

Entre as violências sofridas, 47% refere-se à agressão psicológica (ameaças, humilhação e privação de liberdade), seguida de 27% de violência física e 24% de violência moral. Outros 3% relacionados a patrimônio, quando há destruição de documentos e objetos pessoais.

“A rede de enfrentamento de violência contra a mulher é bem fortalecida hoje. A gente realmente consegue colocar em prática tudo aquilo que vem prevendo a Lei nº 11.340/06 – Maria da Penha, desde as delegacias especializadas, os juizados especializados, a defensoria e promotorias, é um serviço muito direcionado. A mulher vai estar bem amparada do início ao fim do procedimento”, concluiu a delegada.

Retirado de

Powered by WPeMatico

Compartilhar