Servidores da Susam e sindicalistas comemoram reposição salarial e aumento do auxílio-alimentação

67

FOTO: DIVULGAÇÃO
FOTO: DIVULGAÇÃO

Os servidores da saúde e os representantes dos sindicatos das categorias do setor, no Estado, comemoram o acordo firmado com o Governo do Amazonas, que resultou na concessão de 24,20% de reposição salarial e no aumento do auxílio-alimentação, de R$ 220 para R$ 420. O Projeto de Lei do acordo fechado na Mesa Estadual de Negociação Permanente do SUS já seguiu para a Casa Civil, para a produção dos atos, com previsão de ser encaminhado na próxima segunda-feira (16/04) à Assembleia Legislativa do Amazonas.

Pelo acordo, ficou decidido que serão pagos, já a partir de maio, na data-base da categoria, 10,85% de reajuste – sendo 2,68% referente à reposição de 2018 e mais 8,17% retroativos à data-base de 2015. Em 2019, serão concedidos 9,27% retroativos a 2016 e mais a data-base do ano. Em 2020, serão 4,08% retroativos a 2017 e mais a data-base do ano.

O Governo também vai aumentar, já a partir de junho, de R$ 220 para R$ 420, o valor do auxílio-alimentação. O benefício tinha sido suspenso em 2016, na gestão anterior, e foi retomado em fevereiro deste ano, por decisão do governador Amazonino Mendes, que o estendeu a todos os 18 mil servidores, incluindo os do interior do Estado, que nunca receberam. Ficou definido que o valor do benefício será pago no contracheque.

Maior avanço dos últimos anos – A presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde no Amazonas (Sindsaúde), Cleidinir Francisca, considerou o resultado das negociações o maior avanço dos últimos anos, para os trabalhadores da saúde. “Estamos tendo, além da reposição salarial, o auxílio alimentação, que não tínhamos antes. É uma grande conquista para a classe trabalhadora, principalmente, para os servidores do interior, pois não deixa de ser uma ajuda na composição do salário”, comemorou.

O presidente do Sindicato dos Psicólogos do Amazonas (Sindpsi), Alberto Jorge, reconheceu o esforço do governo que, segundo ele, honrou com a palavra e o compromisso assumido. “Durante quatro anos houve uma insensibilidade com o trabalhador da saúde. Eu estou na Mesa desde que ela foi criada e, pela primeira vez, tivemos um diálogo franco, pela primeira vez as contas do governo foram abertas. Conversamos com a Secretaria de Fazenda, com a  Secretaria de Administração, com a Procuradoria Geral do Estado e com a Susam. E as discussões não se encerram aqui, pois o próprio governador Amazonino Mendes nos recebeu para dizer: vocês merecem mais e vou fazer o possível para que, de fato, sejam respeitados”.

Servidores aplaudem – Servidora da Susam há 21 anos, a assistente social Andrea Ferreira diz que a medida é sinal de que a nova gestão está comprometida com a valorização de seu pessoal. “Entendo que o reconhecimento dos trabalhadores passa, também, pela questão salarial. Estávamos há quatro anos sem a garantia desse direito. Então, vejo isso como um ânimo a mais para a gente trabalhar”, afirmou Andrea, após ouvir a apresentação sobre o acordo, feita pelo secretário executivo de Saúde, Orestes de Melo Filho, para servidores da sede da Susam, na manhã desta sexta-feira (13/04).

Para Andrea, os servidores estão reconquistando seus direitos. “Os nossos direitos estão agora sendo atendidos, conquistando coisas que estávamos até sem esperança de conseguir, como a nossa data-base”, disse ela.

Recém-chegada aos quadros da Susam, a administradora Roseane Cumaru também comemorou a conquista. “Tenho um ano na secretaria e para mim é um grande avanço já receber esse reajuste, porque sei que tem vários servidores que estão há muito tempo sem reposição salarial”, comentou.

Para Orestes de Melo Filho, as negociações fortaleceram a relação entre governo e trabalhadores e, ao final do processo, todos ganharam. “Essa é uma vitória de todos, do governo e do movimento sindical que, por consenso, chegaram a uma proposta de reposição salarial para todos os servidores da saúde. Todos ganharam e estou muito feliz de anunciar para os trabalhadores a aprovação desse acordo”, ressaltou.

Retirado de www.amazonas.am.gov.br

Compartilhar