“The Black Dolphin”, a prisão mais temida do mundo, localizada entre a Rússia e o Cazaquistão

90

Por: www.jornalciencia.com

Conhecida como The Black Dophin (Golfinho Preto, em tradução livre), a Prison Colony IK-6, é uma prisão de segurança máxima localizada em Sol-Iletsk, Orenburg Oblast, na Rússia, junto à fronteira com Cazaquistão.

 

Operada pelo Serviço Penitenciário Federal do país, ela detém hoje criminosos como terroristas, canibais, pedófilos, maníacos e assassinos.

prisao-russia_1

O símbolo de seu nome pode ser encontrado na entrada na prisão, como uma estátua de porte médio, em forma de um golfinho preto, que foi construída pelos internos. A IK-6 é uma das prisões mais antigas da região, com o propósito de ser usada apenas para sentenças de prisão perpétua. 

Atualmente, ela abriga cerca de 700 dos criminosos mais perigosos da Rússia, que juntos estimam-se ter cometido cerca de 4.000 assassinatos. Para chegar até ali, eles são vendados para que não possam mapear o local e planejar fugas. O caminho até a cela é feito de maneira curiosa, de modo que os presos são curvados e algemados com as mãos para as costas, em uma “posição de estresse” que permite máximo controle por parte dos guardas.

prisao-russia_2

As celas geralmente não são compartilhadas, apenas se necessário, e com no máximo duas pessoas. Cada cárcere possui um espaço muito pequeno, e com portas reforçadas com três camadas de aço.

 

Os presos em Black Dolphin são mantidos sob vigilância 24 horas por dia. Todos os dias, durante 90 minutos, eles são transportados para uma rotina de exercícios. Durante este período, as celas são revistas em busca de contrabando ou sinais de atividades ilícitas. Os detentos também não têm permissão para descansar ou ficarem deitados em suas camas. Desde que são acordados, até a hora de dormir, são mantidos em movimento. E a cada 15 minutos os guardas conferem suas celas para verem se estão descumprindo as regras.

 

Aos prisioneiros só são permitidas leituras de livros e jornais, embora tenham permissão para portar um rádio. Quanto a comida, apenas sopa e pão são servidos, quatro vezes por dia.

Black Dolphin, assim como outras dezenas de prisões na Rússia, já foram comparadas ao sistema de gulag (campos de trabalhos forçados para criminosos), da antiga União Soviética. A administração do local é tão “linha-dura”, que os presos por vezes se mutilam em forma de protesto.

 

No entanto, embora tenham havido rumores sobre o abuso de presos e falta de conduta apropriada na penitenciária, a maior parte feitas por ativistas dos Direitos Humanos, não há relatórios ou reclamações confirmadas.

[ Porque no se me ocurrio ] [ Fotos: Reprodução / Porque no se me ocurrio ]

O post “The Black Dolphin”, a prisão mais temida do mundo, localizada entre a Rússia e o Cazaquistão apareceu primeiro em Jornal Ciência.

Jornal Ciência

Compartilhar